ONU vai definir com Guiné-Bissau projeto de apoio para combate ao tráfico de droga

Depois de uma apreensão de 789 quilos de cocaína na Guiné-Bissau, a Organização das Nações Unidas quer elaborar um projeto para combater o tráfico de droga no país

O adjunto do representante do secretário-geral da ONU para a Guiné-Bissau, David McLachlan-Karr, disse hoje que as Nações Unidas estão a colaborar com as autoridades guineenses para definir um projeto de apoio ao combate ao tráfico de droga.

"Da parte das Nações Unidas, estamos a colaborar e a cooperar com o Governo da Guiné-Bissau para acelerar um projeto de apoio", disse o responsável.

David McLachlan-Karr explicou que o projeto visa dar mais oportunidades de formação aos agentes da Polícia Judiciária, entre outros aspetos, e vai ter também ter a colaboração do Gabinete da ONU de Combate à Droga (UNODC), em Dacar.

O adjunto do representante do secretário-geral da ONU para a Guiné-Bissau falava aos jornalistas na sede da PJ em Bissau, antes da incineração de quase 800 quilogramas de cocaína apreendidos no sábado, na véspera das eleições legislativas, com um valor de cerca de 18 milhões de euros.

"É uma quantidade muito grande que significa a dimensão do problema aqui na Guiné-Bissau, um país de trânsito da África Ocidental", afirmou David McLachlan-Karr, sublinhando que o projeto que está a ser delineado vai ser bastante importante para o país.

No último relatório sobre o país enviado ao Conselho de Segurança das Nações Unidas, o secretário-geral da ONU, António Guterres destaca que desde julho de 2018 foram detidas 14 pessoas no aeroporto internacional Osvaldo Vieira, em Bissau, e apreendidos 24 quilogramas de cocaína.

"Isto representa um aumento de 40% dos suspeitos detidos e de 300% das drogas apreendidas em relação ao relatório anterior", refeiru António Guterres.

Exclusivos