ONU diz que Estado Islâmico usa 100 mil civis como escudo humano em Mossul

Civis estão presos na parte antiga de Mossul

O Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) disse hoje que cerca de 100 mil iraquianos estão presos na parte antiga da cidade iraquiana Mossul e são usados pelo grupo extremista Estado Islâmico como escudos humanos.

Segundo disse o delegado do ACNUR no Iraque, Bruno Geddo, em conferência de imprensa, há atualmente 667 mil habitantes de Mossul deslocados, 635 mil dos quais viviam no oeste da cidade antes da ofensiva governamental.

Ao mesmo tempo, outras 195 mil pessoas que fugiram da cidade no seguimento da ofensiva militar, que começou no passado 17 de outubro para recuperar a segunda maior cidade do Iraque das mãos dos terroristas, já voltaram às suas casas, mas a situação continua a ser "muito precária".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG