O guru do ioga que faz frente às multinacionais e fatura milhões

Baba Ramdev afirma que Patanjali Ayurved Ltd não é uma empresa, mas um "conceito". Faturou mais de 300 milhões de dólares num ano, competindo com gigantes dos bens de consumo. Diz que os produtos curam doenças e livram os clientes do "veneno" ocidental

Baba Ramdev é um dos mais aclamados gurus indianos do ioga e, em parte devido às sessões televisivas de ioga que protagoniza, um dos que mais seguidores contam nas suas fileiras. Entre eles o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, de quem Ramdev sempre foi abertamente um apoiante, tal como do seu partido, o nacionalista hindu Partido do Povo Indiano (Bharatiya Janata Party).

Crítico do capitalismo ocidental, o guru - que tem como popular assinatura no ioga os movimentos abdominais que exibe - é, com o seu assistente, Acharya Balkrishna, proprietário da empresa de produtos naturais que, do champô aos cereais, produz artigos a partir de ingredientes naturais, seguindo o antigo sistema medicinal indiano ayurveda, que defende a prática do ioga e a cura de maleitas através de certas ervas, comidas e óleos.

Chama-se Patanjali Ayurved Ltd. a firma que, segundo o próprio site, "não é uma empresa, é um conceito." Um "conceito" que num ano faturou mais de 300 milhões de dólares (275 milhões de euros), aumentando em 70% as suas receitas. Um "conceito" que, segundo a BBC, tem como objetivo para o próximo ano atingir 750 milhões de dólares (686 milhões de euros) em vendas. De sabonetes feitos a partir de estrume e urina de vaca, animal sagrado para os hindus, a vários produtos produzidos a partir de ervas que, garante a marca, curam maleitas como a queda de cabelo e a perda de memória e doenças como a asma, a diabetes ou problemas de tiroide. A cura através dos ingredientes ayurveda, lê-se no site da Patanjali Ayurved Ltd, já foi comprovada através de "milhares de pacientes". Os produtos procuram ainda "combater doenças terríveis e incuráveis como o cancro ou a sida".

"As empresas estrangeiras estão a enganar os indianos ao venderem produtos infetados com químicos e aromas artificiais", afirma Baba Ramdev, citado pelo jornal The Wall Street Journal (WSJ). Da coca-cola "que provoca cancro do estômago" às batatas fritas de pacote que "enfraquecem os ossos", o guru do ioga garantia: "Os cosméticos e a comida que as pessoas estão a comprar são veneno, veneno lento." Em entrevista à estação de televisão indiana NDTV, Ramdev indignou-se quando o jornalista o confrontou com anteriores declarações em que afirmava ser capaz de "curar" a homossexualidade e garantir que uma criança nascesse rapaz. Numa convenção de ioga em novembro último, Ramdev declarou que o Prémio Nobel da Paz só lhe é negado devido à cor escura da sua pele.

"Os nossos produtos estão a levar os indianos de volta às suas raízes", afirmou ao WSJ. Garante que os lucros da Patanjali Ayurved Ltd vão para o seu ashram - comunidade que este orienta espiritualmente - e para ações de caridade. E que nem ele nem o seu sócio, Acharya, ganham dinheiro com a empresa que a imprensa afirma ter sido fundada em 2006, ao contrário do site da mesma, em que é dito que terá começado em 1997.

Os analistas, conta o WSJ, afirmam que uma das razões do sucesso da empresa de Ramdev, que publicita os seus produtos nas sessões e convenções de ioga, é, através do seu ashram, conseguir chegar a pequenos e remotos locais que muitas multinacionais, naquele país com mais de mil milhões de habitantes, não conseguem atingir. Multinacionais que já reagiram ao sucesso da marca indiana, introduzindo uma abordagem ayurveda aos produtos vendidos na Índia. A Colgate-Palmolive, por exemplo, já lançou pastas de dentes aromatizadas com ingredientes indianos tradicionais. Já a francesa L"Oréal estará a estudar o uso de plantas ligadas ao sistema ayurveda .

"É apenas uma questão de tempo até que ganhemos o resto do mundo com remédios alternativos", garante o hindu. Interpelado pela BBC, um consumidor de uma pasta de dentes da empresa justifica: "Baba Ramdev é um nome tão conhecido... Por isso acredito que os produtos devem ser puros, não devem estar adulterados. Confio plenamente." A Patanjali Ayurved Ltd já enfrentou mais de cem casos judiciais, de acusações de evasão fiscal a apropriação de terrenos. Ramdev diz ter contestado todas.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG