O cumprimento de Putin ao príncipe saudita que está a correr mundo

Abertura da cimeira do G20 marcada pelo cumprimento entre o presidente russo e o herdeiro da coroa da Arábia Saudita, que num relatório da CIA surge implicado na morte de um jornalista saudita no consulado do país em Istambul. Trump, por seu lado, mostrou afastamento do presidente russo, mas privou com o saudita

Vladimir Putin, presidente da Rússia, e Mohammed bin Salman, príncipe saudita, cumprimentaram-se com entusiasmo e boa disposição no primeiro dia da cimeira do G20, em Buenos Aires. Já Donald Trump, interagiu em privado com o herdeiro da coroa da Arábia Saudita e suspeito de envolvimento na morte do jornalista Jamal Khashoggi.

A imagem do presidente russo e do príncipe saudita a cumprimentarem-se com um forte aperto de mão e sorrisos marcou o arranque da cimeira do G20.

Não foram divulgadas imagens da conversa com o presidente dos EUA, mas, de acordo com o Whashington Post, Donald Trump interagiu com bin Salman nos bastidores da cimeira que reúne as maiores economias do mundo, naquilo a que a Casa Branca chamou de uma troca de cordialidades.

Aos jornalistas, Donald Trump disse que não falaram sobre nada importante: "Não tivemos nenhuma discussão. Podíamos, mas não tivemos nenhuma".

Segundo a mesma publicação, o presidente americano não foi visto a saudar Putin, com quem tinha um encontro marcado durante a cimeira, mas que entretanto foi cancelado por si, alegadamente devido à tensão entre a Rússia e a Ucrânia. Referia-se ao facto de a marinha ucraniana ter acusado a Rússia de atacar e capturar três dos seus navios no Mar Negro, ao largo da Crimeia.

Por outro lado, Trump foi visto a falar amigavelmente com o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, e com o seu homólogo francês, Emmanuel Macron, que recentemente criticou o nacionalismo do presidente dos EUA, numa cerimónia em França.

Macron discutiu com Mohammed bin Salman

Já o presidente francês teve uma breve discussão com o príncipe saudita esta sexta-feira, naquele que terá sido o primeiro contacto entre os dois desde o caso Kashoggi, avança o Paris Match.

De acordo com os conselheiros do chefe de Estado francês, Emmanuel Macron quis ter uma conversa franca com Mohammed bin Salman, na qual lhe terá dito que vai insistir para que os especialistas internacionais participem na investigação da morte do jornalista saudita.

Durante essa breve conversa, Macron falou, ainda, da necessidade de se encontrar uma solução política para o Iémen.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.