Número de mortos em Espanha pode ser 60% superior ao número oficial

Investigação do jornal El Pais aponta para um número de quase 45 mil mortes devido à covid-19, muito superior ao total oficial de 28 342 óbitos.

O número de mortos por coronavírus em Espanha pode ser quase 60% acima do que o total oficial de 28 342, segundo uma investigação do jornal espanhol El País.

O número oficial de mortes no país inclui apenas as pessoas que foram formalmente diagnosticadas com coronavírus, e não casos suspeitos que nunca foram testados. A falta de testes generalizados faz com que a contagem oficial possa subestimar o número de pessoas que morreu devido ao vírus, como acontece em muitos outros países.

Contando estatísticas regionais de todas as mortes suspeitas e confirmadas pelo vírus, o El Pais concluiu que poderá haver um total de 44 868 mortes.

São 16 436 mortes a mais do que as contadas pelo Ministério da Saúde nas suas estatísticas oficiais.

Se esse número estiver certo, isso transformaria o surto de Espanha no segundo mais mortal da Europa depois do Reino Unido.

Segundo o jornal, a contagem nas 17 autonomias mostra um balanço de mortes por suspeita de covid-19 semelhante ao refletido nos estudos sobre excesso de mortalidade realizados pelo Instituto de Saúde Carlos III (44 418 óbitos acima do esperado), pelo Instituto Nacional de Estatística (44 395) e pela Associação Espanhola de Profissionais e Serviços Funerários (43 985).

A enorme diferença entre os resultados dados pelas 17 comunidades e os dados do Ministério da Saúde ocorre nas quatro regiões mais afetadas pela epidemia, onde estão concentrados 75% de todas as mortes na Espanha: Madrid, Catalunha, Castela e Mancha e Castela e Leão. Milhares de mortes registadas nesses territórios ocorreram em casas de repouso e, em menor grau, em domicílios. Os serviços públicos de saúde dessas comunidades entendem que a causa da morte foi na maioria dos casos o coronavírus, ainda que não tenha havido testes a comprová-lo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG