Novos membros de governo minoritário tomam posse

O executivo é chefiado por Mari Alkatiri, da Fretilin, sendo apoiado pelos partidos Democrático e da Libertação do Povo.

Mari Alkatiri, que foi o primeiro chefe de governo eleito após a independência e que esteve em funções entre 2002 e 2006, chefia aquele que é o primeiro executivo minoritário na história deste país de língua portuguesa no Sudeste Asiático, após a vitória da Fretilin nas eleições legislativas de julho.

A formação do governo foi lenta e trabalhosa, tendo um primeiro grupo de 12 governantes tomado posse no passado dia 15. Com a tomada de posse realizada hoje em Díli, o executivo passa a contar mais 21 membros. Continua por nomear o responsável pela pasta da Justiça.

Para o presidente Francisco Guterres, também ele da Fretilin, o trabalho de aproximação entre líderes nacionais, de auscultação de dirigentes de partidos e outras personalidades, de muitos setores sociais, com capacidade reconhecida pela sociedade, foi importante para formar um governo que os cidadãos desejam e esperam (...) para avançar no desenvolvimento nacional e na redução da pobreza no nosso país".

O novo executivo conta com o apoio e a participação de dirigentes do Partido Democrático e do recém-criado Partido de Libertação do Povo, do ex-presidente Taur Matan Ruak.

Destacando a forma "dialogante e paciente" com que o primeiro-ministro Mari Alkatiri procurou criar um governo "com a mais ampla participação possível de todos os setores sociais e políticos da nossa sociedade", Guterres saudou os esforços de diálogo. "O esforço de diálogo e a negociação que têm sido realizados são também exemplos de uma maturidade política que inspira a nossa sociedade. Os cidadãos também sentem que a democracia que abraça, a democracia que respeita todos, inclui saber ouvir - e saber decidir - quando chega a altura de o fazer", disse o presidente.

Por sua vez, Alkatiri reconheceu a existência "das apreensões existentes junto de alguns setores da nossa sociedade. Apreensões legítimas e oportunas" e garantiu ter feito "tudo para ampliar a inclusão [de outros setores políticos] e vou continuar a fazer tudo até terminar com a formação do Governo que chefio".

Na cerimónia em Díli, o primeiro-ministro Alkatiri anunciou a criação de uma Alta Autoridade para a Delimitação das Fronteiras, reiterando o reconhecimento formal, legitimação e apoio à equipa que está a negociar com a Austrália e que é liderada por Xanana Gusmão. Além da delimitação de fronteiras marítimas com este último país, fundamental para determionar o "estatuto legal para o desenvolvimento do poço de gás de Greater Sunrise, no mar de Timor", como reconheceu o primeiro-ministro, existem ainda algumas divergências com a Indonésia sobre os limites da fronteira terrestre de Timor-Leste com a parte restante da ilha governada por Jacarta.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG