Nova coligação austríaca de direita é "um desenvolvimento perigoso"

O Alto Comissário da ONU para os Refugiados acusa o novo chanceler austríaco de defender posições extremistas, como na área da imigração, para alcançar o poder

A entrada da extrema-direita na nova coligação governamental na Áustria é "um desenvolvimento perigoso", disse esta segunda-feira o Alto Comissário da ONU para os Refugiados, alertando para os perigos da "exploração do medo" na Europa.

"Estou muito preocupado", disse Zeid Ra'ad Al Hussein numa entrevista à agência noticiosa francesa France Presse (AFP), acusando o novo chanceler austríaco, Sebastian Kurz, de defender posições extremistas, nomeadamente na área da imigração, para alcançar o poder.

Situação que representa, segundo o diplomata jordano, "um desenvolvimento perigoso (...) na política na Europa".

O novo governo austríaco dirigido por Sebastian Kurz, de 31 anos, tomou posse esta segunda-feira, marcando a chegada ao poder de uma coligação formada pela direita e pela extrema-direita.

Kurz, o novo chanceler do conservador Partido Popular Austríaco (ÖVP) e o mais jovem líder mundial, foi investido pelo chefe de Estado, Alexander Van der Bellen, ao lado do vice-chanceler, Heinz-Christian Strache, que dirige o Partido Liberal (FPÖ, de extrema-direita), numa cerimónia transmitida pela televisão pública.

O governo de Sebastian Kurz integra seis ministros do Partido Liberal, nomeadamente o do Interior, da Defesa e dos Negócios Estrangeiros.

A composição do executivo austríaco foi criticada por milhares de cidadãos que se manifestaram em Viena ao mesmo tempo que decorria a tomada de posse.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG