'Lifeline' diz a ministro italiano que leva "seres humanos a bordo"

Organização Não-Governamental alemã convida Matteo Salvini a visitar o navio e confirmar que têm seres humanos a bordo

O navio da Organização Não-Governamental (ONG) 'Lifeline' com imigrantes a bordo e que foi proibido de atracar em portos italianos, enviou uma mensagem ao ministro do Interior italiano a lembrar que leva "seres humanos a bordo".

Recentemente, o ministro Matteo Salvini, conotado com a extrema-direita italiana, utilizou, na sua página do Facebook, a expressão "carga humana" para aludir ao caso do navio 'Lifeline' que navegava no Mediterrâneo com largas dezenas de imigrantes a bordo e sem autorização para atracar em portos italianos.

"Nós não trazemos carne a bordo, apenas seres humanos", replicou a ONG alemã, numa mensagem dirigida ao governante italiano.

Na missiva, a ONG convida cordialmente Matteo Salvini a ir a bordo do 'Lifeline' verificar que foi mesmo seres humanos que salvaram do naufrágio.

"Venha ver. Será bem-vindo", adianta a ONG alemã, que navega ao largo de Malta com 239 imigrantes a bordo, incluindo 14 mulheres e quatro crianças, resgatados junto à costa da Líbia.

A organização precisou de receber água potável, medicamentos e cobertores, que foram trazidos de Malta por outros dois navios humanitários alemães, o "Sea Eye" e o "Sea Watch".

O 'Lifeline' aguarda a chegada em breve do navio dinamarquês Alexander Maersk, que salvou 113 imigrantes das águas a sul de Itália e que poderá auxiliar o 'Lifeline' em caso de mau tempo.

Exclusivos