"Não venham para a Europa", diz Tusk a migrantes económicos

O presidente do Conselho Europeu está na Grécia a tentar resolver a crise dos refugiados.

Para Donald Tusk, os migrantes económicos, que tentam entrar na União Europeia de forma ilegal, estão a "arriscar as suas vidas e o seu dinheiro para nada". O presidente do Conselho Europeu, que está na Grécia e vai ainda visitar a Turquia esta semana para tentar encontrar soluções para a crise dos refugiados, deixo o alerta a essas pessoas: "Não venham para a Europa".

Após um encontro com o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, Tusk pediu a todos os potenciais migrantes económicos ilegais para não confiarem nos traficantes que prometem trazê-los para a Europa em troca de avultadas somas de dinheiro.

Nos últimos dias, mais de 25 mil refugiados têm estado bloqueados na fronteira entre a Grécia e a Macedónia, gerando receios de uma crise humanitária. Já hoje, um grupo de pessoas bloqueou uma linha de caminho de ferro que faz a ligação entre os dois países em protesto contra as restrições à circulação.

Só à ilha grega de Lesbos chegaram desde o início do ano mais de 75 mil refugiados, na larga maioria vindos da Síria. Tudo indica portanto que em 2016 será ultrapassado o número de um milhão de migrantes que em entrou na UE em 2015.

A Comissão Europeia adotou na quarta-feira um plano para distribuir 700 milhões de euros em ajuda humanitária nos próximos três anos para ajudar a resolver esta crise. A Grécia deve receber os primeiros 300 milhões já este ano.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG