"Não há acordo, não há transição". UE alerta para No Deal, mas ainda tem esperança

Michel Barnier, o principal negociador da União Europeia para o Brexit, garantiu que os 27 não vão renegociar o acordo de saída do Reino Unido da UE.

"É o único acordo possível para organizar a saída de maneira ordeira", garantiu Michel Barnier em Bruxelas, num think tank. O principal negociador da União Europeia para o Brexit garantiu que os 27 não vão renegociar o acordo de saída do Reino Unido da União Europeia. Mais: deixou bem claro que sem acordo não haverá um período de transição - "Não há acordo, não há transição".

Para o francês, o cenário de uma saída sem acordo ganhou consistência nos últimos dias, sobretudo depois de na segunda-feira o Parlamento terem rejeitado as quatro alternativas ao acordo de May: negociar uma união aduaneira, um mercado comum 2.0, um segundo referendo para confirmar o Brexit e pedir uma nova extensão do artigo 50.º e revogar o Brexit diante de um não acordo.

Com esta votação ganhou força a hipótese de a primeira-ministra britânica, Theresa May, poder levar a votação - pela quarta vez - o seu acordo.

Diante de duas emendas que significam um "soft Brexit" e outras duas que, na prática, podiam acabar por pôr um ponto final ao Brexit, a primeira-ministra pode usar a votação para ameaçar os eurocéticos conservadores que votaram contra si. A cada votação, May tem ganho votos e na última (a que não foi vinculativa, porque separou acordo de saída da declaração política), perdeu por apenas 58 votos -- na primeira tinha perdido por 230.

O quarto voto no acordo de Brexit poderá ocorrer já na quarta-feira e ser uma espécie de frente a frente entre a proposta de May e a emenda mais votada - ou melhor, a que foi rejeitada por diferença menor. Qualquer hipótese de um "soft Brexit" levaria muitos conservadores a virar as costas a May e a apoiar uma eventual moção de censura apresentada pela oposição contra a primeira-ministra.

No deal mais provável

Barnier admitiu que "nos últimos dias cenário de não acordo tornou-se mais provável, mas ainda o podemos evitar". E garantiu que Bruxelas está disposta a aceitar que o Reino Unido fique na união aduaneira ou uma relação semelhante à que mantém com a Noruega.

Quanto a um eventual No Deal, Barnier sublinhou que os 27 estão prontos para qualquer hipótese. "Estar preparado não significa contudo que tudo decorra de forma suave. Vai haver disrupções, vai haver problemas. Estar preparado significa que todas as disrupções vão ser geridas pela UE". Os chefes de Estado e de governo europeus voltam a reunir-se em Bruxelas no dia 10 para tentarem encontrar uma solução.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG