"Não" à independência catalã ultrapassa o "Sim" pela primeira vez desde 2017

48,6% dos catalães estão contra a ideia de uma Catalunha enquanto Estado republicano independente de Espanha, segundo o último estudo de opinião do Centro de Estudios de Opinión da Generalitat

Pela primeira fez desde o referendo de 1 de outubro de 2017, declarado ilegal pela justiça espanhola, há mais catalães contrários do que favoráveis à ideia de uma Catalunha republicana e independente de Espanha.

Segundo o último estudo de opinião do Centro de Estudios de Opinión da Generalitat, divulgado esta sexta-feira, 48,6% dos catalães são agora contra a independência e 47,2% são a favor. A margem é pequena. Mas representa um aumento de 4,5 pontos percentuais em relação à percentagem registada em março pelo mesmo centro de sondagens catalão.

Assim, há dois meses, os que estavam contra a independência eram 44,1%. Os que estavam a favor eram 48,4%. Esta é também o primeiro estudo de opinião do Centro de Estudios de Opinión da Generalitat desde que foram realizadas eleições legislativas antecipadas em Espanha no passado dia 28 de abril.

Os espanhóis voltam às urnas no próximo dia 26 de maio, para votar em eleições europeias e municipais e, nalgumas regiões, autonómicas. Não é, porém, o caso da Catalunha.

De acordo com um inquérito de opinião divulgado, na quinta-feira, pelo Centro de Investigaciones Sociológicas espanhol, o PSOE deverá vencer as europeias, elegendo até 18 eurodeputados, o PP de Pablo Casado continuará em queda e elegerá até 12 deputados ao Parlamento Europeu, o Ciudadanos de Albert Rivera até 9, a Unidas Podemos de Pablo Iglesias e Alberto Garzón 8, o Vox, partido de extrema-direita de Santiago Abascal, até 5 e os outros partidos, incluindo os catalães, 4.

Exclusivos

Premium

Gastronomia

Quem vai ganhar em Portugal as próximas estrelas Michelin

É já no próximo dia 20, em Sevilha, que vamos conhecer a composição ibérica das estrelas Michelin para 2020. Estamos em festa, claro, e festejaremos depois com os nossos bravos, mesmo sabendo que serão poucos para o grande nível a que já chegámos. Fernando Melo* escreve sobre os restaurantes que podem ganhar estrelas Michelin em 2020 em Portugal.