Mulher cai à linha de comboio e homem faz selfie no acidente

Aconteceu em Itália e está a chocar o mundo. O homem foi obrigado a apagar a fotografia pelas autoridades

26 de maio, Piacenza. Kate Ellis, uma canadiana de 83 anos, professora de literatura inglesa reformada, tinha chegado há seis dias a Itália, quando o pior aconteceu. Caiu à linha de comboio depois de sair pela "porta errada" da carruagem em que seguia.

Na estação, a aguardar um próximo comboio, estava uma médica e um jornalista. A médica assistiu prontamente a octogenária; o jornalista captou um momento que está a chocar o mundo (e que o fez ter uma foto publicada no site da BBC).

Enquanto a médica, os bombeiros e a polícia ajudavam a vítima, que acabou por ser amputada a uma perna, um outro indivíduo aproveitou para imortalizar o momento com uma... selfie.

Impressionado com a falta de "senso ético", Giorgio A. Lambri, 58 anos, jornalista, não hesitou em fotografar o insólito, que foi partilhado nas redes sociais, e em avisar a polícia.

As autoridades abordaram o homem e obrigaram-no a apagar a selfie. Foi aberta uma investigação, mas não ficou provado que a sua ação fosse criminosa.

O jornal Liberta foi o primeiro a dar a notícia. No jornal lia-se o título: "A barbárie que ninguém espera: a 'selfie' em frente a uma tragédia".

Mas afinal, o que aconteceu? Kate Ellis explicou o incidente ao jornal, dias depois.

"Nunca perdi a consciência até o resgate chegar. Estava no comboio Bari-Milão de regresso de Reggio Emilia. No meio da viagem, adormeci e quando vi o comboio parar achei que já tinha chegado a Milão. Então, com pressa, fui para a saída, mas escolhi a porta errada."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG