MP espanhol pede detenção de Turull e de mais quatro deputados

Em causa o risco de fuga e de continuação da atividade criminosa. O Supremo Tribunal acusou ainda do delito de rebelião 13 separatistas

O Ministério Público de Espanha pediu a detenção provisória do candidato à presidência da Generalitat, Jordi Turull, e dos outros quatro deputados, Carme Forcadell, Raül Romeva, Josep Rull e Dolors Bassa, que compareceram, esta sexta-feira, à audiência no Supremo Tribunal.

De acordo com o El Mundo, que cita a Europa Press, o pedido de detenção baseia-se no risco de fuga e de continuação da atividade criminosa.

Marta Rovira foi convocada para rever a sua situação processual, mas decidiu não comparecer perante o tribunal e fugiu para a Suíça.

A secretária geral da Esquerda Republicana da Catalunha (ERC), Marta Rovira, anunciou numa carta partilhada pelo partido que iria seguir um "caminho duro": o da "estrada do exílio".

O Supremo Tribunal espanhol acusou hoje de delito de rebelião 13 separatistas pela sua participação no processo de independência da Catalunha, entre os quais o ex-presidente do executivo regional Carles Puigdemont, refugiado na Bélgica.

O juiz responsável pela instrução do caso, Pablo Llarena, avança com as acusações quatro meses depois do início da investigação à tentativa de organizar a criação de uma República independente na Catalunha.

Foram ainda acusados do crime de rebelião o ex-presidente do Governo regional Oriol Junqueras, a ex-presidente do parlamento regional Carme Forcadell, e os independentistas Jordi Sanchez e Jordi Cuixart e Marta Rovira.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG