Morte de idosa com trotineta foi "infração ligeira" e valeu uma multa

Tribunal determinou que houve "imprudência menor" na morte de Berta, uma mulher de 90 anos, atropelada por uma scooter elétrica.

Havia muita expectativa em Espanha quanto à decisão judicial sobre a primeira morte de um peão por uma trotineta elétrica. Mas a decisão do juiz acabou por gorar muitas delas: o jovem que atropelou e causou a morte de Berta, uma mulher de 90 anos, foi indiciado por "infração ligeira" e, no máximo, será condenado a pagar uma multa.

Alexi, de 19 anos, vai ser julgado por imprudência, uma ofensa menor - esta acusação, segundo o El Paíssignifica que não será preso, caso seja considerado culpado.

Tanto o juiz como o procurador concordaram que o jovem circulava a menos de 10 quilómetros por hora. Mas essa velocidade reduzida foi suficiente para matar Berta, que regressava a casa do seu passeio matinal no dia 13 de agosto do ano passado. A idosa, que circulava na zona para peões, na Rambla de Carme, na cidade de Esplugues de Llobregat, próximo de Barcelona, foi atingida pelas costas pela scooter elétrica - Alexis ia a menos de 10 Km/horas, mas transportava uma segunda pessoa e ia a ver o telemóvel.

Berta caiu e bateu violentamente com a cabeça no chão, tendo sofrido uma grave hemorragia interna. Morreu horas depois no hospital.

A investigação judicial procurou apurar se Alexi era culpado de homicídio involuntário, mas o facto de ir a olhar para o telemóvel determinou a acusação de imprudência. O advogado de defesa contestou e recordou que o jovem tentou salvar a idosa e voltou à Rambla del Carme para procurar a família dela e pedir perdão.

Mas o procurador entendeu que se estava perante um caso de "imprudência menor". Segundo o El País, esta é uma categoria criminal intermédia entre um crime menor e grave, que resulta de alterações ao código penal feitas em 2015.

Assim, a pena prevista para alguém que "por imprudência menor causa a morte de outro" é o pagamento de uma multa entre três a 18 meses. No caso de Alexi ainda não se sabe quanto irá pagar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG