Morte de Bolsonaro interessa "aos que estão muito perto"

Frase enigmática no twitter de Carlos Bolsonaro, um dos filhos do presidente eleito no Brasil, gerou 1,5 mil comentários online. Ele não adiantou mais nada

Carlos Bolsonaro, vereador do Rio de Janeiro e segundo dos cinco filhos de Jair Bolsonaro, presidente eleito do Brasil, escreveu uma frase enigmática no seu twitter na noite de quarta-feira que vem levantando especulações e interpretações de todos os tipos. Segundo ele, que geriu as redes sociais do pai ao longo dos últimos anos e principalmente durante a campanha, "a morte de Jair Bolsonaro não interessa somente aos inimigos declarados mas também aos que estão muito perto, principalmente após a sua posse". E prossegue: "É fácil mapear uma pessoa transparente e voluntariosa, sempre fiz a minha parte exaustivamente, pensem e entendam o enredo diário".

Menos de cinco horas depois de publicado, o estranho desabafo já havia sido compartilhado 1300 vezes, reunido mais de 1500 comentários e gerado em torno de 10 mil likes. A maior parte dos comentários pedia esclarecimentos adicionais, a que Carlos não respondeu. Horas depois, acrescentou "a pergunta que não pode calar e que muitos que se dizem 'jornas' fazem questão de esquecer: quem mandou matar Jair Bolsonaro? Será que se fazem de idiotas porque foi um ex-membro do PSOL e simpatizante do PT?".

Bolsonaro foi alvo de um atentado, com uma faca, no dia 6 de Setembro, em Juiz de Fora, Minas Gerais. O autor da agressão, Adélio Bispo, foi preso. Segundo inquérito da polícia federal ele agiu sozinho.

Carlos Bolsonaro, 35 anos, reassumiu ontem a posição de vereador no Rio, depois de ter saído da equipa de transição do novo governo em atrito com outros membros. O seu nome foi falado como provável responsável pela secretaria de comunicação social do governo, um cargo com estatuto de ministério, mas entretanto descartado. Colunas de bastidores dos jornais apontam que Gustavo Bebianno, novo ministro da secretaria-geral da presidência e figura desde há um ano muito próxima do presidente eleito, é o principal rival de Carlos Bolsonaro.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG