Morrissey candidato à câmara de Londres?

Cantor declarou a sua intenção de lutar "contra a infernal e arcaica injustiça social a que estão sujeitos os animais".

O cantor e compositor britânico Morrissey está a considerar "seriamente" a possibilidade de vir a candidatar-se à presidência da câmara de Londres pelo Partido do Bem-Estar Animal, divulgou hoje na sua página oficial na Internet.

Numa mensagem, o ex-vocalista do grupo The Smiths, de 56 anos, declarou a sua intenção de lutar "contra a infernal e arcaica injustiça social a que estão sujeitos os animais".

Steven Patrick Morrissey, conhecido simplesmente como Morrissey, tem sido ao longo dos anos um fervoroso ativista dos direitos dos animais, bem como um defensor da alimentação vegetariana.

"Não podemos ficar simplesmente sentados e esperar que aqueles que estão no poder se preocupem. Não podemos permitir que o desastre hipócrita da agricultura animal continue para sempre, porque o seu impacto é infernal", prosseguiu o cantor.

A líder do Partido do Bem-Estar Animal, Vanessa Hudson, afirmou, em declarações à estação britânica pública BBC, espera ver "uma campanha eleitoral para a câmara que inclua o ponto de vista de um candidato que deseje fazer de Londres uma cidade pioneira no mundo para as pessoas, mas também para os animais".

Para 05 de maio deste ano estão agendadas as eleições locais que vão eleger o sucessor do atual 'mayor' (presidente da câmara) de Londres, o conservador Boris Johnson, que não vai concorrer a um terceiro mandato.

Os potenciais rivais de Morrissey na corrida à câmara de Londres são o conservador Zac Goldsmith, de 41 anos, filho do milionário James Goldsmith, e o trabalhista Sadiq Khan, de 45 anos, de ascendência paquistanesa.

Para ser candidato, Morrissey, natural de Manchester (norte de Inglaterra), deve estar registado como eleitor em Londres ou provar que vive ou trabalha na capital britânica há pelo menos 12 meses seguidos.

Os candidatos devem recolher igualmente as assinaturas de pelo menos 10 eleitores de cada um dos distritos de Londres antes do fim de março e pagar um depósito de 10.000 libras (12.900 euros).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG