Morreu Oskar Gröning, o "contabilista de Auschwitz"

Tinha 96 anos e foi protagonista de um dos últimos grandes julgamentos relativos ao Holocausto

Oskar Gröning, que ficou conhecido como o "contabilista de Auschwitz", morreu aos 96 anos. Foi condenado a quatro anos de prisão em 2015 por crimes relacionados com o Holocausto, sendo assim um dos últimos acusados devido a ações nazis. A pena surgiu devido ao papel cúmplice de Gröning na morte de cerca de 300 mil pessoas em Auschwitz.

O homem de 96 anos estava no hospital quando morreu, explica o Der Spiegel, alegadamente na passada sexta-feira, mas as autoridades prisionais ainda estão à espera do certificado do óbito, diz a Reuters. Ainda não tinha começado a cumprir a pena devido a problemas legais e também devido à sua frágil saúde.

Não teve contacto direto com as mortes, com o seu papel a ser contar o dinheiro que era tirado às vítimas.

Assumiu, em tribunal, "culpa moral" pelo que fez em Auschwitz, que incluía também enviar fundos para Berlim, de modo a financiar a máquina de guerra nazi.

Era acusado de ter "ajudado o regime nazi a beneficiar economicamente de assassínios em massa" ao enviar o dinheiro dos deportados para Berlim e de ter ajudado "à seleção", separando, à entrada no campo, os deportados considerados aptos para o trabalho dos que seriam imediatamente mortos.

A batalha legal que envolveu Gröning é tida como um dos últimos grandes julgamentos relativos ao Holocausto. Então, foi considerado culpado de ser cúmplice de homicídio em cerca de 300 mil casos de judeus deportados que foram enviados para as câmaras de gás em 1944.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG