Morreu o ex-agente duplo britânico George Blake que espiava para os soviéticos

O ex-agente duplo britânico George Blake, a "famosa toupeira" que espionou para o KGB soviético na década de 1950 antes de se mudar para o Leste, morreu aos 98 anos, anunciaram este sábado agências de notícias russas.

"Hoje, o lendário oficial dos serviços secretos (...) George Blake já não existe. Amava, sinceramente, o nosso país, admirava as realizações do nosso povo durante a Segunda Guerra Mundial", disse o porta-voz da agência estatal TASS para o Serviço de Inteligência Externa da Rússia (SVR), Sergei Ivanov.

Ex-membro da resistência na Holanda durante a Segunda Guerra Mundial e então agente do MI6, George Blake ofereceu os seus serviços aos soviéticos na década de 1950, após testemunhar bombardeios americanos sobre as populações civis na Coreia.

Forneceu os nomes de centenas de agentes ao KGB e revelou a existência de um túnel secreto em Berlim Oriental usado para espionar os soviéticos.

Denunciado por um agente duplo polaco, George Blake foi condenado, em 1961, a 42 anos de prisão na Grã-Bretanha.

Cinco anos depois, conseguiu escapar da prisão com a ajuda de uma escada de corda e dos seus companheiros de cela.>

Em fuga, Geo

rge Blake consegue cruzar a Cortina de Ferro através da República Democrática Alemã (RDA) e estabelece-se no Leste.

Celebrado como herói em Moscovo, foi premiado com o posto de coronel pelos serviços secretos russos.

Apesar da queda da URSS, à qual dedicou a sua vida, nunca se arrependeu das suas ações.

George Blake era o último sobrevivente de uma famosa geração de agentes duplos britânicos, "toupeiras" que a URSS conseguiu recrutar durante a Guerra Fria.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG