Morreu Frank Lucas, o traficante que inspirou o "Gangster Americano"

Lucas tornou-se um famoso traficante de heroína nos anos 60 e 70 em Nova Iorque. A droga que traficava era conhecida por ter um elevado grau de pureza.

Frank Lucas, ex-traficante de droga que inspirou o filme "Gangster Americano", morreu esta quinta-feira aos 88 anos, informou o sobrinho, Aldwan Lassiter, citado pelo The Guardian.

Não são conhecidos detalhes da morte, que ocorreu no estado de New Jersey, mas, segundo a mesma fonte, Frank Lucas estaria com problemas de saúde.

Criado na Carolina do Norte, Frank Lucas envolveu-se no crime em Harlem, um bairro em Nova Iorque, nos anos 60 e 70, tornando-se um conhecido traficante de heroína, que era famosa por ter um elevado grau de pureza.

Quando as autoridades invadiram a sua casa, em Teaneck, New Jersey, no ano de 1975, encontraram mais de 500 mil dólares em dinheiro.

Após a detenção, Frank Lucas foi condenado a 70 anos de prisão, mas colaborou com as autoridades em diversos casos como informante, o que fez com que saísse em liberdade ao fim de cinco anos.

Mais tarde, Lucas foi novamente detido por tráfico de droga, tendo sido condenado a mais sete anos de prisão. Saiu em liberdade em 1991.

A história do ex-traficante serviu de inspiração para o filme "Gangster Americano", de Ridley Scott, que teve Denzel Washington no papel de Frank Lucas.

O filme dá a conhecer o império de tráfico montado por Lucas, que terá chegado a transportar heroína nos caixões dos soldados mortos na guerra do Vietname. De acordo com o que é relatado no filme, a heroína viajava da Ásia para a América nos fundos falsos dos caixões.

Mas esse pormenor da vida de Lucas levanta algumas dúvidas. Ron Chepesiuk, co-autor de um livro sobre a sua vida, diz que não encontrou evidências ou registos em tribunal desse transporte, enquanto Frank Lucas continuou a afirmar que o tinha feito, mas apenas uma vez.

Segundo o The Guardian, Lucas esteve presente nas filmagens do filme, produzido em 2007, dando conselhos a Denzel Washington sobre a forma como deveria segurar a arma.

Em 2007, numa entrevista à The Associated Press, o ex-traficante confessou que se arrependia do que tinha feito. "Eu fiz algumas coisas terríveis. Estou terrivelmente arrependido por isso", afirmou.

A história de Frank Lucas é, segundo o The New York Times, uma história de "ambição, organização e brutalidade implacável". O ex-traficante terá ordenado e cometido homicídios, subornado pessoas no Vietname e vários polícias, aos quais pagava 200 mil dólares por semana.

Nos seus dias gloriosos, Lucas ganhava, em média, um milhão de dólares por dia, tinha 52 milhões nas ilhas Cayman e 300 milhões de dólares em cocaína armazenada. Além de ser proprietário de vários edifícios em Detriot, tinha apartamentos em Nova Iorque, Miami, Los Angels e Porto Rico.

A ligação do ex-traficante ao crime teve início ainda na infância, quando começou a assaltar bêbedos. Aos 15 anos, roubou 400 dólares a um homem, agrediu-o e fugiu para Nova Iorque. E foi no Harlem, onde se fixou, que começou a jogar e a vender drogas. Mais tarde, passou para os assaltos à mão armada.

Aos poucos, ganhou a confiança de Ellsworth Johnson, conhecido como Bumpy, que controlava o crime no bairro. Após a morte de Johnson, Lucas tomou conta do Harlem, que em pouco tempo viria a estar no centro de uma rede internacional de tráfico de heroína.

O site de celebridades TMZ diz que Frank Lucas tem sete filhos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG