Morre estudante de 22 anos alegadamente ao fugir da polícia em Hong Kong

O jovem terá sido encontrado inanimado num parque de estacionamento e estava internado desde o início da semana.

Um estudante de 22 anos morreu esta sexta-feira em Hong Kong, tornando-se alegadamente na primeira vítima direta dos confrontos entre manifestantes e polícia registados na cidade nos últimos meses, noticiou a imprensa local.

O jovem estava internado num hospital local desde a madrugada de segunda-feira, depois de ter sido encontrado inanimado num parque de estacionamento, aparentemente na sequência de uma fuga de uma ação policial contra uma manifestação ilegal em Hong Kong, indicou a rádio local RTHK.

O hospital Rainha Isabel confirmou que o estudante morreu às 08:09 (00:09 em Lisboa), sem especificar a causa da morte, adiantou o jornal local South China Morning Post (SCMP).

Chow Tsz-lok, estudante de ciência informática da Universidade de Ciência e Tecnologia de Hong Kong (HKUST), foi encontrado inanimado no segundo andar de um parque de estacionamento em Tseung Kwan e as autoridades admitiram a possibilidade de ter caído do terceiro andar, indicou o SCMP.

Momentos antes, a polícia tinha disparado várias granadas de gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes, que atiraram garrafas e tijolos contra as forças de segurança.

A antiga colónia britânica é palco, há cerca de cinco meses, de uma crise política sem precedentes desde a transferência de soberania do Reino Unido para a China em 1997, com manifestações e ações quase diárias para protestar contra a alegada erosão das liberdades e crescente interferência de Pequim na região semiautónoma.

A mobilização pró-democracia tem resultado em confrontos cada vez mais violentos e recorrentes entre polícias e manifestantes radicais, bem como em numerosos atos de vandalismo direcionados contra empresas acusadas de apoiarem Pequim.

Exclusivos