MNE alemão "perplexo" por Trump se dizer vítima ao estilo nazi

Durante a campanha presidencial, Steinmeier chamou a Trump "pregador do ódio"e descreveu a sua vitória como "assustadora" para o mundo

O ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, Frank-Walter Steinmeier, declarou-se hoje "perplexo" com as declarações do Presidente norte-americano eleito, Donald Trump, considerando-se vítima de métodos de denúncia dignos da Alemanha nazi.

Trump atacou na quarta-feira, em conferência de imprensa, os serviços de informações e a comunicação social por veicularem "informações falsas" sobre hipotéticas ligações secretas com Moscovo.

"É escandaloso, escandaloso, que as agências de informações tenham permitido [a divulgação de] informação que se revelou errada e falsa", declarou, acrescentando: "É o tipo de coisa que a Alemanha nazi teria feito".

Inquirido sobre o assunto, à margem de um encontro com o seu homólogo egípcio, Sameh Choukri, o chefe da diplomacia alemã respondeu dizendo "estar tão perplexo [como os jornalistas]" e não estar em condições "de interpretar tais declarações".

Não penso que, a longo prazo, ele fique satisfeito apenas enviando mensagens no Twitter

Steinmeier lamentou igualmente não saber ainda quais são as grandes linhas da futura política externa dos Estados Unidos, observando ter "apenas ouvido chavões como ordem mundial, ordem económica, livre comércio, sírios e Médio Oriente".

"Cada Presidente deve encontrar o seu próprio estilo e é isso que vai fazer também o Presidente Trump. Não penso que, a longo prazo, ele fique satisfeito apenas enviando mensagens no Twitter -- eu seria totalmente incapaz de exprimir conceitos de política externa em 140 carateres", comentou, numa referência à utilização feita por Trump da rede social, onde é seguido por 19,6 milhões de pessoas.

Frank-Walter Steinmeier tornou-se nos últimos meses um dos mais ferozes críticos de Donald Trump, que classificou antes da sua eleição como "pregador do ódio" e a sua vitória como uma perspetiva "assustadora" para o mundo.

O MNE alemão, de 60 anos, foi nomeado para ser, a partir de fevereiro, o próximo Presidente da República Federal da Alemanha, um cargo honorífico mas que garante uma grande liberdade de opinião.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG