Mishustin promete "mudanças reais para melhor" e recebe luz verde da Duma

Novo primeiro-ministro russo foi aprovado com os votos favoráveis de 383 deputados e 41 abstenções, não tendo havido nenhum voto contra.

O parlamento russo confirmou esta quinta-feira Mikhail Mishustin como novo primeiro-ministro da Rússia, um dia depois de ter sido designado pelo presidente Vladimir Putin para promover "mudanças reais" no país.

"A decisão está tomada", declarou o líder da câmara baixa do parlamento russo (Duma), Viatcheslav Volodine, após a votação que atribuiu 383 votos favoráveis à designação de Mishustin.

Na mesma votação na Duma, dominada por forças políticas favoráveis a Putin, nenhum voto contra foi registado e existiram 41 abstenções.

Antes da votação no hemiciclo, Mikhail Mishustin, que era até à data diretor da Autoridade Tributária Federal russa, discursou diante dos deputados e assumiu o compromisso que os russos irão beneficiar de "mudanças reais para melhor".

Na intervenção, Mishustin destacou a sua missão como primeiro-ministro, "a justiça social", garantindo que irá concentrar-se nas questões sociais e na melhoria dos padrões de vida dos russos.

"Temos todos os recursos necessários para cumprir as metas estabelecidas pelo presidente", afirmou.

"O presidente quer que o executivo lidere o crescimento económico e ajude a criar postos de trabalho. O aumento dos rendimentos reais é uma prioridade para o governo", prosseguiu Mishustin, acrescentando ainda estar aberto "a críticas construtivas".

Após uma intervenção de cerca de dez minutos, Mishustin foi submetido a um período de perguntas por parte dos deputados da Duma.

A designação de Mishustin surgiu na quarta-feira à tarde após a demissão de Dmitri Medvedev, que há oito anos assumia o cargo de primeiro-ministro russo.

Medvedev apresentou a sua demissão poucas horas depois de Putin ter anunciado, durante um discurso sobre o Estado da Nação, reformas constitucionais.

No parlamento, Mishustin não deu qualquer indicação sobre a futura composição do novo executivo russo, mas deverá apresentar os nomes no espaço de uma semana.

Moscovita de 53 anos, o novo primeiro-ministro tem uma longa carreira como funcionário público em várias agências governamentais antes de se tornar chefe de um fundo de investimento e, em 2010, do departamento tributário, que ele transformou em profundidade. Fã de hóquei no gelo, defende a modernização e a digitalização da Rússia.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG