Ministro romeno compara incineração de porcos a campo nazi de Auschwitz

O ministro da Agricultura romeno, Petre Daea, desculpou-se hoje por comparar a incineração de porcos com febre suína africana ao campo de concentração nazi de Auschwitz, mas assegurou que não "ofendeu ninguém"

"Eu expresso o meu respeito a todos os membros da comunidade judaica e digo que só queria descrever a difícil situação que os agricultores romenos enfrentam por causa da peste suína africana", declarou Petre Daea num comunicado.

Durante uma entrevista à televisão na noite de terça-feira, Daea disse que, nas fazendas afetadas, "os porcos são incinerados, é um trabalho incrível, é como em Auschwitz".

"Eu jamais ofendi alguém, apenas expressei a minha dor", disse o ministro, cujas palavras costumam gerar confusão na Roménia

A oposição de centro-direita imediatamente exigiu a sua demissão, sublinhando que era "inaceitável comparar a incineração de porcos a uma tragédia global".

"Essas declarações são suscetíveis de atentar contra à dignidade humana e criar uma atmosfera hostil, humilhante para todos que se lembrem do Holocausto", disse o presidente do Conselho Nacional de Combate à Discriminação (CNCD), Csaba Asztalos, afirmando que o órgão irá abrir uma investigação e pedir uma explicação ao ministro da Agricultura.

Exclusivos