Matteo Salvini ameaça retirar proteção policial a jornalista antimáfia Roberto Saviano

O ministro do Interior de Itália, Matteo Salvini, líder do partido de extrema-direita Liga, anunciou ter apresentado queixa por difamação contra o escritor e jornalista antimáfia Roberto Saviano, que é atualmente o seu crítico mais virulento

A tensão é forte entre os dois homens, sobretudo depois de o novo ministro ter ameaçado Saviano com a suspensão da proteção policial, que está atribuída ao escritor devido às ameaças de morte feitas por um clã da Camorra, a máfia napolitana, no seguimento da publicação do livro Gomorra, em 2006.

"Apresentei queixa contra Saviano, como prometido. Aceito todas as críticas, mas não permito a ninguém que diga que ajudei a máfia, uma merda que combato com todas as minhas forças, ou que me alegrei com a morte de uma criança. Demasiado é demasiado", escreveu Salvini, na sua conta na rede social Twitter, esta noite.

"Robertino, acabou o bom tempo", comentou Luca Morisi, chefe da comunicação na internet de Salvini.

"O ministro da Má Vida [a Má vida é uma das alcunhas da máfia] decidiu apresentar queixa (...). Não vou parar perante um poder que tem medo das vozes críticas. No tribunal, Salvini será intimado a dizer a verdade, uma experiência nova para ele", reagiu Saviano.

Quando a oposição política ao governo populista em Itália, em funções desde junho, parece reduzida ao silêncio -- o Partido Democrata pelas suas divisões internas, a direita clássica pela sua aliança com a Liga de Salvini e a esquerda pela sua derrota eleitoral - Saviano tornou-se uma referência pelas críticas ao novo ministro do Interior.

Na comunicação social e nas redes sociais, o escritor tem-se insurgido contra a política migratória muito dura de Salvini e opõe-se ao adiamento persistente da Liga no pagamento das suas dívidas judiciais ou na rejeição de apoios duvidosos no sul do país.

Mas a mensagem de Saviano, distribuída via Twitter, que provocou a reação de Salvini data de terça-feira, depois da descoberta dos corpos de uma mulher e de uma criança, mortos no mar Mediterrâneo.

"Que prazer lhe dá ver morrer crianças inocentes no mar? Matteo Salvini, ministro da Má Vida, o ódio que tem semeado vai derrubá-lo", escreveu Saviano, sob uma foto dos cadáveres.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG