Ministro da Saúde desiste de corrida à liderança dos Tories

Matt Hancock foi sexto na primeira ronda de votações, conseguindo o apoio de apenas 20 deputados. Próxima ronda de votos é na terça-feira.

O ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, desistiu da corrida à liderança do Partido Conservador, depois de ter conseguido apenas o voto de 20 deputados na primeira ronda de votações.

"Concorri como o candidato do futuro, mas o partido está compreensivelmente à procura de um candidato para as circunstâncias únicas que enfrentamos agora", disse num vídeo em que fez o anúncio, sem indicar quem vai apoiar a partir de agora.

"Decidi retirar a minha candidatura e vou procurar a melhor forma de promover os valores pelos quais lutei, a livre iniciativa, uma sociedade aberta, aspiracional e livre, sustentada por uma crença otimista no valor de cada pessoa individual", acrescentou.

Hancock diz que vai falar com os outros candidatos no fim de semana para ver como poderá trabalhar para que estes valores possam ser promovidos.

O ministro da Saúde tinha conseguido 20 votos na primeira ronda de votações, suficiente para passar à segunda ronda (três candidatos não conseguiram os 17 votos necessários para que isso acontecesse), mas abaixo dos 33 que precisa para passar à terceira ronda. A segunda ronda é na próxima terça-feira, sendo antecedida de um debate no domingo.. Quando só restarem dois candidatos, os seus nomes serão sujeitos a votação entre os militantes do Partido Conservador, com o resultado a ser conhecido a 22 de julho.

A primeira votação foi ganha pelo ex-chefe da diplomacia, Boris Johnson, que conseguiu 114 votos. O atual chefe da diplomacia, Jeremy Hunt, ficou em segundo, com 43 pontos, tendo o responsável pela pasta do Ambiente, Michael Gove, ficado em terceiro, com 37 votos. Os restantes candidatos que passaram à segunda ronda são o ex-ministro do Brexit Dominic Raab (27 votos), o ministro do Interior, Sajid Javid (23 votos), e o ministro para o Desenvolvimento Internacional, Rory Stewart (19 votos).

O próximo líder do Partido Conservador assumirá também a chefia do governo britânico. Theresa May demitiu-se por não conseguir o apoio suficiente para o seu acordo de Brexit.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG