Ministro da Defesa grego demite-se antes de votação sobre nome da Macedónia

Panos Kammenos não concorda com a alteração do nome para República da Macedónia do Norte e deixa governo. Acordo conseguido em junho entre Grécia e a Macedónia pode não aprovado no parlamento helénico

O ministro da defesa grego e principal aliado da coligação do Governo de Alexis Tsipras, Panos Kammenos, anunciou este domingo que vai renunciar ao cargo, antes da próxima votação parlamentar sobre o novo nome da Macedónia, ao qual se opõe. "A questão da Macedónia não me permite não sacrificar a minha posição como" ministro, afirmou, anunciando a "retirada do Governo" de membros do seu partido, numa declaração em direto para as televisões.

"Agradeci ao primeiro-ministro pela nossa cooperação e expliquei que, devido a essa questão nacional, não poderíamos continuar", acrescentou Panos Kammenos, líder do pequeno partido soberanista ANEL, vai dar mais pormenores sobre a resignação do cargo numa conferência de imprensa marcada para o início da tarde deste domingo.

Na sexta-feira, o parlamento da Macedónia ratificou o acordo sobre o nome de "República da Macedónia do Norte" que, para entrar em vigor, deve agora ser ratificado pelo congénere grego. A votação em Atenas deve acontecer "dentro de dez dias", segundo Alexis Tsipras.

É necessária uma maioria simples para a mudança de nome da Macedónia, tendo o chefe do Governo uma pequena margem de manobra (153 de 300, incluindo 145 do seu próprio partido). O principal partido da oposição, Nova Democracia (78 eleitos), anunciou que iria votar contra a ratificação do acordo, mas os eleitos do ANEL mantiveram a ambiguidade e poderão aprovar a mudança de nome, apesar da demissão do seu líder.

Quanto aos seis membros do Governo provenientes do ANEL, não é seguro que sigam os passos de Kammenos e o primeiro-ministro espera ainda o voto dos deputados do partido pró-europeu da oposição Potami, que tem sete eleitos.

Tsipras e o seu homólogo macedónio, Zoran Zaev, assinaram em junho o acordo de Prespa, que prevê a alteração da designação do país (Macedónia, ou Antiga República Jugoslava da Macedónia, Fyrom), para "República da Macedónia do Norte", mas a sua concretização ficou dependente da sua aprovação pelos parlamentos de Skopje e Atenas.

A alteração destina-se a terminar com um velho litígio de quase três décadas entre os dois vizinhos, e terminar com o veto grego à adesão da Macedónia à NATO e ao processo de aproximação com a União Europeia (UE). Atenas exigia a mudança de nome por considerar que Macedónia faz parte do seu património histórico e só podia ser usado pela sua província com o mesmo nome.

Exclusivos

Premium

João Lopes

A última tentação cinéfila

O ator Willem Dafoe é um dos homenageados do Lisbon & Sintra Film Festival: entre os seus títulos mais emblemáticos inclui-se A Última Tentação de Cristo, de Martin Scorsese, filme gerado num contexto de produção de Hollywood que já não existe.O ator Willem Dafoe é um dos homenageados do Lisbon & Sintra Film Festival: entre os seus títulos mais emblemáticos inclui-se A Última Tentação de Cristo, de Martin Scorsese, filme gerado num contexto de produção de Hollywood que já não existe.

Premium

Número dispara em quatro meses

Há 3685 desfibrilhadores em Portugal

Em quatro meses, o Instituto Nacional de Emergência Médica colocou mais de mil desfibrilhadores em espaços públicos. Mas faltam ainda muitos passos para cumprir à risca a legislação criada em 2012. No concelho de Ansião (Leiria), um enfermeiro apresentou uma proposta ao orçamento participativo e a câmara vai instalar 18 aparelhos nos espaços públicos. Foi lá que há dois anos um dispositivo desses salvou a vida a um bombeiro.