Ministério do Interior moçambicano investiga 320 polícias por corrupção

Entre as infrações imputadas aos agentes destaca-se a extorsão, que atinge principalmente as polícias de Trânsito, Migração e Investigação Criminal

O Ministério do Interior de Moçambique abriu processos disciplinares contra 320 polícias por suspeitas de envolvimento em atos de corrupção, entre janeiro e setembro, que poderão resultar em expulsão.

Os polícias são alvo de 180 processos disciplinares que terão o seu desfecho dentro em breve, prevendo-se a expulsão, anunciou Joaquim Bule, porta-voz do XXVII Conselho Coordenador do Ministério do Interior.

Entre as infrações imputadas aos agentes, destaca-se a extorsão, que atinge principalmente as polícias de Trânsito, Migração e Investigação Criminal, acrescentou.

Ainda durante o XXVII Conselho Coordenador, que decorreu entre sexta-feira e domingo, o Ministério do Interior anunciou que os agentes que orientam o trânsito vão deixar de passar multas aos automobilistas durante as horas de ponta e de maior fluxo de trânsito, passando essa tarefa para as equipas móveis.

"Era uma sobrecarga manter um agente a regular o trânsito e ao mesmo tempo ocupar-se da emissão de avisos de multa", disse o porta-voz do Comando-Geral da Polícia moçambicana, Inácio Dina, em declarações ao diário Notícias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG