Militantes da extrema-direita nas ruas contra "invasão" de refugiados

Manifestantes pediram o fim das políticas de asilo e refugiados e "islamização" do país

Cerca de 3.000 militantes da extrema-direita manifestaram-se hoje nas proximidades do edifício da chancelaria alemã, em Berlim, para exigir a demissão de Angela Merkel e, desta forma, "libertar" a Alemanha da "invasão" de refugiados e imigrantes.

"Merkel deves ir" e "nós somos o povo" foram as palavras mais ouvidas pelos manifestante durante a marcha até ao Portão de Brandemburgo, que foram sempre acompanhados por um grande número de polícias para evitar confrontos com os participantes em outros dois protestos convocados por forças de esquerda com o slogan "nazis fora".

Cerca de 1.300 polícias foram mobilizados para as manifestações

Com bandeiras alemãs e muitos deles com a cara escondida em capuzes e lenços, os manifestantes chamaram o Governo de Merkel de "traidor" e pediram o fim das políticas de asilo e refugiados e "islamização" do país.

Apenas separados pelas forças de segurança, cerca de mil pessoas manifestavam-se contra os militantes de extrema-direita, mostravam bandeiras e faixas contra a xenofobia e tentavam conter os slogans da extrema-direita com assobios e músicas.

A manifestação da extrema-direita decorria sem incidentes, até que a polícia foi obrigada a intervir quando dezenas de contramanifestantes tentaram bloquear a marcha que se dirigia para o centro de Berlim.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG