Milionário tanzaniano libertado ao fim de nove dias sequestrado

O empresário tanzaniano Mohammed Gulamabbas Dewji, considerado um dos mais ricos de África e sequestrado dia 11 em Dar es Salaam, anunciou hoje no Twitter ter sido libertado e estar em casa "são e salvo".

Considerado o mais jovem milionário do continente africano, Dewji, de 43 anos, tinha sido raptado por desconhecidos, ao amanhecer do dia 11, quando entrava no ginásio de um hotel da capital económica da Tanzânia.

"Agradeço a Alá por ter regressado a casa são e salvo", disse Mohammed Dewji na página do Twitter do grupo que dirige, METL, agradecendo ainda às autoridades do país, nomeadamente à polícia. "Agradeço aos meus concidadãos tanzanianos e a todas as pessoas no mundo pelas suas orações", afirmou.

Questionado pelo diário Mwanachi, o pai de Dewji, Gullam Dewji, confirmou a libertação do filho. O tio do empresário, Azim Dewji, citado no mesmo jornal, acrescentou que o milionário foi encontrado cerca das 2:30 de hoje em Dar es Salaam. "Os raptores abandonaram-no e ele conseguiu falar com o seu pai ao telefone", disse. O chefe da polícia de Dar es Salaam, Lazaro Mambosasa, disse ao Mwananchi que já falou com Mohammed Dawji.

O ministro do ambiente da Tanzania, January Makamba, amigo íntimo de Dewiji, também confirmou no Twitter que o milionário está de volta a casa;

De acordo com a BBC, Mohammed Gulamabbas Dewji encontra-se bem de saúde, apenas tem hematomas nos pulsos e nos tornozelos por ter estado amarrado. Não há ainda mais informações sobre o que aconteceu nem como ele foi libertado, nem sequer se a família pagou algum resgate.

O sequestro aconteceu nas proximidades do hotel Coliseu, onde Dewji habitualmente frequentava o ginásio. A fortuna de Dewji está avaliada em 1.500 milhões de dólares (cerca de 1.296 milhões de euros) e é a décima sétima pessoa mais rica do continente africano, segundo a imprensa especializada.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG