México vai analisar extradição por "terrorismo" do autor de tiroteio em El Paso

O Governo do México vai apresentar uma queixa por terrorismo e analisar a extradição do autor do tiroteio de sábado em El Paso (Texas) que provocou 20 mortos, entre os quais seis mexicanos.

O ministro dos Negócios Estrangeiros do México, Marcelo Ebrard, anunciou as medidas depois de confirmar a morte de seis cidadãos mexicanos no tiroteio deste sábado. que tinha motivações racistas.

"Temos estado em contacto com a Procuradoria Geral da República para que nos seja fornecida toda a informação necessária e, caso o decidam, iniciar uma queixa [judicial] por terrorismo relacionada com cidadãos mexicanos em território dos Estados Unidos", disse em conferência de imprensa Marcelo Ebrard.

O ministro conformou a morte de seis mexicanos e ferimentos em outros nove durante o ataque de sábado, e anunciou vai ser analisado o pedido de extradição do responsável pelo tiroteio.

Previamente, Ebrard tinha referido que o México vai promover "ações jurídicas" para exigir a proteção dos mexicanos nos Estados Unidos.

O tiroteio de sábado num centro comercial de El Paso provocou pelo menos 20 mortos e 26 feridos. As autoridades norte-americanas já definiram o ataque protagonizado por Patrick Crusius, um branco de 21 anos, como um "crime de ódio" e o procurador de El Paso informou que vai ser solicitada a pena de morte.

Anteriormente, as autoridades norte-americanas tinham anunciado estar a investigar uma possível ligação do suspeito com um manifesto publicado online criticando "a invasão hispânica do Texas".

El Paso, com cerca de 680.000 habitantes, está situada no oeste do Texas, junto à fronteira com o México e separada de Cidade Juárez pelo Rio Bravo del Norte (Rio Grande).

Nos fins de semana, aquele é um habitual local de compras para muitos mexicanos, que atravessam a fronteira.

Segundo o censo mais recente, 80% da população de El Paso é de origem hispânica (latino-americana).

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG