"Sonhadores" das forças armadas não serão deportados

James Mattis anunciou que nenhum militar no ativo corre perigo de deportação

O secretário da Defesa dos Estados Unidos, James Mattis, afirmou hoje que o seu departamento alcançou um acordo para evitar a deportação dos 'sonhadores' (jovens indocumentados que estão no país desde crianças) das forças armadas.

Em declarações a um grupo de jornalistas no Pentágono, Mattis indicou que falou hoje com a sua homóloga do Departamento de Segurança Nacional, Kirstjen Nielsen, para confirmar que nenhum militar no ativo corre perigo" de deportação.

"Quem se alistou, esteja no ativo ou na reserva (...) não está sujeito a qualquer tipo de deportação", esclareceu o general, recusando entrar em detalhes.

De acordo com os últimos dados oficiais, dos cerca de 690.000 'sonhadores' que estão atualmente abrangidos pelo programa DACA (Deferred Action Childhood Arrival), 900 estão nas forças armadas.

O referido programa, que protege pessoas que chegaram aos Estados Unidos de forma ilegal quando eram crianças, foi impulsionado em 2012 pelo então presidente norte-americano, Barack Obama.

Em setembro passado, o sucessor de Obama, Donald Trump, ameaçou acabar com o programa e convidou o Congresso a encontrar uma solução permanente antes que o DACA seja suspenso, a 5 de março.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG