Marta Bosquet, do Ciudadanos, é a nova presidente do Parlamento da Andaluzia

Com o apoio do Vox, partido de extrema-direita, Ciudadanos e PP querem tirar Susana Díaz e o PSOE do poder: o primeiro ficou com a presidência do Parlamento e o segundo tenciona ficar com a presidência da Junta da Andaluzia

Marta Bosquet, deputada do Ciudadanos, foi esta quinta-feira eleita presidente do Parlamento da Andaluzia. Este foi constituído com base nos resultados das eleições autonómicas andaluzes de dia 2, nas quais o PSOE ganhou, mas sem maioria, obtendo o seu pior resultado em mais de três décadas na região que sempre foi o seu principal feudo. Por isso, PP, Ciudadanos e Vox uniram-se para tirar os socialistas de Susana Díaz, presidente cessante da Junta da Andaluzia, do poder.

Advogada, natural de Almeria, Marta Bosquet, de 49 anos, é licenciada em Direito pela Universidade de Granada e trabalhou até 2008 na área das vítimas de violência de género. No passado dia 2, foi cabeça de lista do Ciudadanos, partido que na Andaluzia tem como líder Juan Marín e, a nível nacional em Espanha, Albert Rivera.

Bosquet integrou a equipa de negociadores que, durante mais de duas semanas, esteve a negociar com o Partido Popular andaluz um acordo com 90 medidas para governar a Andaluzia. Ao fim de 36 anos de domínio do PSOE. O líder do PP andaluz, Juan Manuel Moreno, espera vencer o debate de investidura a 16 de janeiro e ser indigitado para suceder à socialista Susana Díaz. Não sem antes esta dar luta. Pois argumenta que como líder do partido mais votado no dia 2 tem direito a tentar formar governo. Só não se sabe com quem. Uma vez que PP, Ciudadanos e Vox têm 59 deputados, ou seja, mais do que os 55 necessários para chegar à maioria absoluta no Parlamento da Andaluzia.

A nova presidente do Parlamento andaluz foi uma das responsáveis por grande parte das interpelações feitas na comissão de inquérito criada em 2016 para investigar o chamado caso das fraudes com cursos de formação, comissão pela qual passaram a presidente cessante da Junta Susana Díaz e os seus antecessores Manuel Chaves e José Antonio Griñán.

Divorciada, a viver em Almeria com os filhos, de 21 e de 17 anos, Marta Bosquet tornou-se o braço direito do líder do Ciudadanos Andaluzia nos últimos anos. Além daquela comissão, presidiu e foi membro de muitas outras, desde a da Justiça e Assuntos Internos, à da Agricultura e Pescas, passando pelo Desenvolvimento e Habitação. Agora, passa a presidir ao Parlamento mais fragmentado da história da Andaluzia.

Além de PSOE, PP, Ciudadanos e Vox há outros personagens que também conta, a Adelante Andalucía, coligação de vários partidos, entre os quais o Podemos, que conseguiu eleger 17 deputados no dia 2. A líder da coligação, Teresa Rodríguez, confirmou que prefere ficar na oposição do que apoiar o Ciudadanos e o PP juntamente com o Vox. A sua formação, disse, não integrará "nenhum pacto" que "implique branquear" a presença do Vox e da "extrema-direita" no Parlamento. Rodríguez indicou que a Adelante Andalucía "fará frente às direitas e à extrema-direita" nas votações do Parlamento.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG