Manafort declara-se inocente após novas acusações de Robert Mueller

O antigo dirigente da campanha de Donald Trump, Paul Manafort, declarou-se inocente numa nova acusação apresentada nesta quinta-feira pelo procurador especial Robert Mueller. Julgamentos deverão ser no verão.

O procurador especial Robert Mueller, que está a investigar a alegada interferência da Rússia na campanha presidencial de 2016, apresentou nesta quinta-feira novas acusações contra o antigo diretor de campanha de Donald Trump, Paul Manafort. Este é acusado de mais crimes de fraude fiscal e de lavagem de mais de 30 milhões de euros. As acusações caem não só sobre Manafort como sobre o seu antigo associado e colaborador na campanha, Rick Gates.

Manafort e Gates já tinham sido acusados em outubro de lavagem de dinheiro e de conluio para ocultar dados referentes ao seu trabalho de lobbying a favor de políticos ucranianos pró-russos no passado. Recentemente, foi revelado que Manafort recrutara e subsidiara um grupo de figuras políticos europeus para atuarem nos Estados Unidos a favor de antigos dirigentes ucranianso ligados a Moscovo.

Um porta-voz de Manafort garantiu que este irá declarar-se inocente e que nos julgamentos, um marcado para julho e o segundo para setembro, será "certamente absolvido".

Manafort insiste em declarar-se inocente nos dois casos enquanto Gates declarou-se culpado e aceitou colaborar com a investigação de Mueller.

Em resultado destas acusações, Manafort está agora obrigado a usar no tornozelo duas pulseiras eletrónicas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG