Mais duas mortes ligadas aos airbags da Takata na Malásia

Sobre assim para 13 o número total de mortes com explosões de airbags

Duas pessoas morreram na Malásia depois de 'airbags' fabricados pela empresa japonesa Takata terem explodido, elevando para 13 o número total de mortes, anunciou a Honda.

A Takata tem tentado resolver o defeito nos seus sistemas de 'airbag' que faz com que estilhaços de metal e plástico sejam projetados na direção do condutor e passageiros.

Esta falha tem sido apontada como responsável por graves ferimentos que, nalguns casos, foram fatais. As mais recentes mortes aconteceram em abril no estado de Sabah, na parte malaia da ilha do Bornéu, e no estado de Kedah, em maio.

Num comunicado, a Honda Malásia confirmou que o sistema de enchimento do 'airbag' da Takata "rompeu em dois acidentes em abril e maio, respetivamente, na Malásia". "Ambos os acidentes resultaram nas trágicas mortes dos condutores", diz o comunicado, acrescentando que a causa de morte nos dois incidentes, ambos envolvendo carros Honda City, ainda não foi determinada.

O fabricante automóvel lembrou que emitiu uma ordem de chamada à revisão para os veículos Honda City em 2014 e 2015 para que o 'airbag' frontal do condutor fosse substituído.

Cerca de 50 milhões de 'airbags' da Takat aforam chamados às oficinas em todo o mundo, incluindo cerca de 29 milhões nos Estados Unidos, onde, na quarta-feira, os reguladores disseram esperar que mais 35 a 40 milhões de 'airbags' sejam adicionados à lista.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG