Mais de 50 mortos em prisão no Iémen após ataque com mísseis

O centro de detenção foi atingido por sete mísseis. Coligação liderada pela Arábia Saudita, que intervém no Iémen desde 2015, reivindicou o ataque

Mais de 50 presos de um centro de detenção da província de Dhamar, no Iémen, morreram este domingo na sequência de um ataque com mísseis, alegadamente, provocado por uma coligação árabe, liderada pela Arábia Saudita, avançaram as autoridades locais.

Cerca de 170 presos estavam no centro de detenção que foi alvejado com sete mísseis durante a madrugada e "mais de 50 corpos foram encontrados nos escombros e umas 100 pessoas foram levadas para o hospital", indicaram as autoridades, citadas pela agência noticiosa Efe.

A coligação liderada pela Arábia Saudita, que intervém no Iémen desde 2015, reivindicou o ataque num comunicado divulgado pelo canal de televisão saudita Al-Ekhbariya, acrescentando que teve como alvo uma "posição militar onde são armazenados drones e mísseis".

A coligação sublinhou ainda que foram "tomadas todas as medidas necessárias para proteger os civis".

Este grupo opera no Iémen desde 2015, apoiando as forças pró-Governo na luta contra os rebeldes que controlam áreas do oeste e do norte do Iémen.

Exclusivos