Mais de 250 pessoas com suspeitas de intoxicação alimentar na festa de Imelda Marcos

Mais de 250 pessoas foram levadas para hospitais de Manila, capital filipina, com suspeita de intoxicação alimentar, após uma festa de comemoração do 90º aniversário da ex-primeira-dama Imelda Marcos.

No passado dia 2 de julho, Imelda Marcos comemorou os seus 90 anos. Cerca de 2 500 amigos e apoiantes da família reuniram-se para a celebração do seu aniversário num estádio em Manila e centenas de convidados sentiram-se indispostos, apresentando sintomas de intoxicação alimentar, tendo sido levados por ambulâncias, conta a Cruz Vermelha filipina.

"As nossas ambulâncias transportaram pessoas para o hospital com queixas de tonturas e vómitos. Aparentemente foram vítimas de intoxicação alimentar", indicou Richard Gordon, presidente da Cruz Vermelha.

Segundo o Ministro da Saúde, Francisco Duque, 260 pessoas ficaram doentes durante a festa, onde foram servidos diferentes menus e distribuídas garrafas de água com o nome da viúva do ex-presidente das Filipinas. De acordo com o The Washington Post, suspeita-se que o prato que causou a intoxicação foi o adobo embalado, um prato filipino à base de carne, legumes e ovo.

Bongbong Marcos, filho de Imelda Marcos, pediu desculpas e prometeu ajudar aqueles que ficaram doentes até que recuperassem totalmente. "Peço desculpas e apelo à vossa compreensão neste momento".

Em novembro de 2018, Imelda Marcos, foi condenada a penas de prisão que podem ir até 77 anos depois de ter sido declarada culpada de sete crimes de corrupção. Em causa está o desvio de 200 milhões de dólares do erário público, através de fundações criadas em seu nome na Suíça, quando ocupava o cargo de Governadora de Manila (1975 -86).

Ferdinand e Imelda instauraram um regime ditatorial nas Filipinas, entre 1965 e 1986, tendo o presidente sido destituído por uma revolta popular pacífica, que os levou ao exílio.

O ex-presidente faleceu no Havai em 1989 e a viúva e os filhos regressaram ao país em 1992, tendo, desde então, sido acusados em 400 processos judiciais sem qualquer condenação até à sentença em novembro.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG