Mais de 12 mil funcionários do Estado moçambicano faltaram à prova de vida

Funcionários que não compareceram correm o risco de ficar sem salários

Mais de 12 mil funcionários do Estado moçambicano faltaram à prova de vida realizada em todo o país no ano passado, correndo o risco de ficar sem salários, disse a ministra da Administração Estatal e Função Pública, Carmelita Namashulua.

"Este grupo consta das folhas de salários e continua a auferir normalmente os vencimentos, mas fisicamente não existe", afirmou Carmelita Namashulua, citada hoje pelo diário Notícias.

A existência de um número elevado de trabalhadores do Estado que faltaram à prova de vida mostra a dimensão do problema dos chamados "funcionários fantasmas" e que urge eliminar, declarou.

"É necessário fazer uma gestão transparente e racional dos recursos humanos, para se eliminar o velho problema dos funcionários fantasmas", disse.

Carmelita Namashulua criticou a fraca produtividade por parte dos funcionários da Função Pública, assinalando que o Estado admite trabalhadores todos os anos.

Para assegurar um maior rendimento dos funcionários, o executivo moçambicano está a dar primazia à competência técnica e profissional na contratação de funcionários.

"A nível dos distritos, o capital humano deverá ser ajustado às potencialidades locais", destacou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG