Mais contágios. Comunidade Valenciana põe travão no desconfinamento

De todas as comunidades autónomas espanholas é a única que não pede às autoridades de saúde nacionais para passar à próxima fase do plano de desconfinamento já na próxima segunda-feira.

Todas as comunidades espanholas esperam na segunda-feira dar mais um passo no desconfinamento. A exceção é a Comunidade Valenciana que, por prudência, decidiu que vai continuar na fase 1 (sendo 0 a mais restritiva e a 3 a menos), depois de um aumento na taxa de contágios. A passagem à fase 2 fica assim adiada para 1 de junho.

A taxa de contágios passou de 0,66 a 0,85 numa semana, continuando abaixo do 1, o valor que as autoridades de saúde espanholas estabelecem como máximo para colocar um travão no desconfinamento e que significa que cada pessoa infetada contagia uma outra.

Na região foram confirmados 14 724 casos e 1370 mortos, desde o início da pandemia. "Não temos nenhum surto, mas queremos esperar esta semana. Permaneceremos na fase 1 outros sete dias", disse a responsável pela pasta da Saúde no governo valenciano, Ana Barceló.

A fase 1 já permite a abertura das esplanadas dos restaurantes e reuniões de no máximo 10 pessoas, que continuam proibidas na fase 0 onde os restaurantes só abrem para take away. Houve contudo um aliviar das medidas e nesta fase 0 já é possível a abertura de lojas até 400 metros quadrados, as igrejas e os museus (sempre limitados a um terço nas entradas).

Na fase 2, já são permitidas reuniões de até 15 pessoas ou até mais para atividades de turismo de natureza ou a realização de congressos e todas as lojas podem abrir, com uma redução de 40% no número de clientes. Abrem também os mercados ao ar livre e os centros comerciais, com os restaurantes a já não estarem limitados às esplanadas.

Desde esta quinta-feira que, em todo o país, é obrigatório o uso de máscara para os maiores de seis anos, incluindo nos espaços ao ar livre, se não for possível manter a distância de segurança.

Além disso, a decisão da Comunidade Valenciana serve também para que toda a região possa seguir ao mesmo ritmo de desconfinamento, já que é preciso estar 14 dias em cada fase e há zonas (14 dos 24 departamentos de saúde da comunidade, onde vivem 3,5 dos cinco milhões de habitantes) que só estão na fase 1 há uma semana.

O prazo para pedir a passagem de fase às autoridades de saúde espanholas terminou na quarta-feira. Madrid, onde a pandemia foi mais grave, pediu pela terceira vez para passar da fase 0 à fase 1, tendo esta sido negada até agora. Também a Catalunha pediu que a região metropolitana de Barcelona passe à fase 1, tendo esperado uma melhoria dos dados para o fazer, tal como Castela e Leão.

A decisão final será conhecida esta sexta-feira.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG