Boris Johnson investigado por conflito de interesses

O município de Londres pediu a abertura de uma investigação ao primeiro-ministro, o conservador Boris Johnson, por suspeita de conflito de interesses, quando era 'mayor' da capital britânica.

Em causa estão alegados benefícios concedidos a uma empresária (e ex-modelo) norte-americana entre 2008 e 2016.

Jennifer Arcuri, de 34 anos, terá recebido 126 mil libras (141 mil euros) em dinheiros públicos e tido acesso privilegiado em viagens comerciais no estrangeiro e patrocínios, segundo o diário The Sunday Times revelou na semana passada.

O atual chefe de Governo participou em quatro ocasiões como orador convidado em representação da empresa de Arcuri e era amigo próximo da empresária, que visitava com frequência em sua casa, segundo o jornal.

O município de Londres informou hoje ter solicitado à comissão independente de queixas da polícia ( Independent Police Complaints Commission ), para investigar se a empresária Arcuri beneficiou da sua relação de então com o autarca.

Numa nota divulgada, o município de Londres, liderado pelo trabalhista Sadiq Khan, diz ter "informações de que um crime poderia ter sido cometido", embora "isso não signifique de forma alguma que isso esteja comprovado".

Um porta-voz de Downing Street negou qualquer conflito de interesses neste caso: "O primeiro-ministro, como prefeito de Londres, teve uma enorme quantidade de trabalho para vender a nossa capital em todo o mundo", justificou a fonte, que disse que "tudo foi feito corretamente e da maneira normal".

Exclusivos