Libertado informático suspeito da fuga de informação

O homem, cuja identidade não foi anunciada, é suspeito de ter retirado informação e de acesso indevido a um sistema informático e continua proibido de sair da Suíça

Um informático do gabinete da sociedade de advogados panamiana Mossack Fonseca, no centro do escândalo dos "Documentos do Panamá", foi libertado na sexta-feira, mas com a proibição de sair da Suíça, anunciou o seu advogado.

O homem, cuja identidade não foi anunciada, é suspeito de ter retirado informação e de acesso indevido a um sistema informático.

"O meu cliente, que tinha sido detido no início do mês, foi colocado em liberdade hoje e comprometeu-se a não sair do território suíço até ao final do inquérito", declarou à AFP o seu advogado, Thomas Barth, que acrescentou que as análises e investigações poderiam durar "vários meses".

Segundo uma fonte conhecedora do caso, a procuradoria tinha ordenado uma busca ao escritório em Genebra do gabinete de advogados panamiano Mossack Fonseca, depois de uma queixa apresentada por esta.

Estão em curso análises para estabelecer se o informático subtraiu dados ao seu empregador e, se se comprovar, que tipo de dados e em que período de tempo.

Segundo o jornal suíço Le Temps, que tinha sido o primeiro a anunciar a detenção do informático, nada permite dizer que se trata do homem que se designa por "John Doe" e que afirma estar na origem das revelações dos "Documentos do Panamá".

Desde o início de abril que a divulgação dos "Documentos do Panamá", revelados por um consórcio de jornalistas e assentes em 11,5 milhões de documentos provenientes do escritório Mossack Fonseca, tem causado a abertura de numerosos inquéritos no mundo e conduziu o primeiro-ministro islandês e um ministro espanhol à demissão.

Os documentos revelaram a utilização em grande escala de sociedades 'offshore', que permitem a ocultação de ativos em territórios opacos e com uma fiscalidade muito baixa.

Em 05 de abril, a Mossack Fonseca queixou-se de ter sido vítima de uma pirataria informática, realizada a partir de servidores estrangeiros, anunciou a apresentação de uma queixa a propósito.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG