Kellyanne Conway, conselheira de Trump, deixa a Casa Branca

Kellyanne Conway, que foi diretora de campanha eleitoral de Trump em 2016 passando a ser uma das suas principais conselheiras, vai deixar a Casa Branca no final deste mês. O marido, um feroz crítico do presidente, também vai afastar-se do Lincoln Project, um grupo de republicanos contra a reeleição de Trump. Os dois querem dedicar mais tempo aos filhos.

A poucas horas do início da convenção republicana, a conselheira do presidente dos EUA anunciou que vai abandonar a Casa Branca. Kellyanne Conway, de 53 anos, foi diretora da campanha eleitoral de Donald Trump em 2016, que o levou à presidência dos Estados Unidos, e tornou-se uma das suas principais defensoras, ficando conhecida pela acesa troca de palavras com os jornalistas. No domingo, anunciou que vai sair da Casa Branca no final deste mês para se dedicar aos filhos.

Se Kellyane tem sido uma das defensoras mais acérrimas de Trump, o marido, o advogado George Conway, é, curiosamente, uma das vozes mais críticas do presidente. Mas também ele fez saber que vai deixar a política. Vai retirar-se do Lincoln Project, criado por um grupo de consultores republicanos que está contra a reeleição de Trump.

"Vou fazer a transição da Casa Branca no final deste mês. George também está a fazer mudanças", disse a ainda conselheira de Trump, em comunicado.

"Discordamos muito, mas estamos unidos no que mais importa: as crianças", afirmou, referindo-se ao marido e aos filhos, que estão prestes a começar um ano letivo à distância. "Como sabem os pais em todo o país, os filhos a estudar em casa exigem um nível de atenção e vigilância tão incomum como os tempos que vivemos", explicou Kellyanne Conway.

"Menos drama, mais mamã"

"Por enquanto, e para meus filhos queridos, será menos drama, mais mamã", concluiu.

Antes, o marido anunciava que também iria afastar-se da política e do Twitter. "Vou-me retirar do Lincoln Projet para me dedicar a assuntos familiares", escreveu na rede social, onde teceu várias críticas a Donald Trump, para quem a mulher trabalha.

Embora afastado, George Conway continua a apoiar o grupo de republicanos que está contra a reeleição de Trump. "Apaixonadamente", garantiu.

Está previsto que Kellyanne Conway vá discursar nesta semana na Convenção do Partido Republicano, em Charlotte, na Carolina do Norte, mas com a saída anunciada da Casa Branca não é claro que o faça.

A saída de Kellyanne Conway foi anunciada depois de a filha Claudia, de 15 anos, ter publicado uma mensagem no Twitter na qual afirmou estar "devastada" pelo facto de a mãe ir discursar na convenção republicana, onde os delegados do partido vão escolher Trump como candidato às eleições presidenciais de 3 de novembro.

A adolescente revelou mais tarde que também ela iria fazer uma pausa nas redes sociais e pediu para que não odiassem os seus pais.

No comunicado, Kellyanne Conway garante que sair da Casa Branca foi uma decisão sua e afirmou que, "com tempo", irá anunciar os seus "futuros planos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG