Kavanaugh: "Nunca agredi sexualmente ninguém. Nem no secundário, nem na faculdade, nunca"

O juiz nomeado pelo presidente dos EUA, Donald Trump, para o Supremo Tribunal garante que as acusações de agressão sexual de que está a ser alvo fazem parte de um "golpe político calculado". "Isto é um circo", acusou Kavanaugh que se emocionou durante o testemunho

De forma "categórica e inequivocamente", o juiz Brett Kavanaugh negou as acusações de agressão sexual de que está a ser alvo. "Isto destruiu a minha família e o meu bom nome", afirmou esta quinta-feira na audição do Comité Judicial do Senado norte-americano.

O juiz nomeado pelo presidente dos EUA, Donald Trump, para o Supremo Tribunal está a ser ouvido depois do testemunho de Christine Ford que o acusa de a ter agredido sexualmente em 1982 numa festa do liceu. A psicóloga é uma das três mulheres que acusa Kavanaught de abusos sexuais.

"As consequências [das acusações] vão sentir-se por décadas", considerou. Referiu que as alegações de que terá agredido sexualmente a psicóloga fazem parte de um "golpe político calculado". "Isto é um circo",acusou.

"Sou inocente"

"Nunca agredi sexualmente ninguém. Nem no secundário, nem na faculdade, nunca", garantiu. "A agressão sexual é uma coisa horrível. Uma das minhas melhores amigas é uma pessoa que foi abusada e que pediu o meu conselho", disse.

Embora tenha admitido que Christine Ford possa ter sido agredida sexualmente, Kavanaugh garantiu que não foi ele. "Não é quem eu sou. Juro diante da nação e de Deus que sou inocente dessa acusação", reiterou.

O juiz nomeado pelo presidente dos EUA, Donald Trump, para o Supremo Tribunal emocionou-se quando se referiu à filha, de 10 anos, durante o seu testemunho na audição. Disse não desejar "nenhum mal" à psicóloga e falou que a filha reza por Christine Ford.

Questionado pela senadora Diane Fennstein, o juiz negou também as acusações de abusos sexuais de Deborah Ramirez e Julie Swetnick. "A história de Swetrnick é uma piada, uma farsa", exclamou, referindo-se às alegações da mulher que garante que Kavanaugh participou em violações em grupo nos anos 80, e que drogava as jovens para poder cometer os abusos.

"Gostava de cerveja, ainda gosto de cerveja, mas não bebi cerveja ao ponto de perder a consciência e nunca agredi sexualmente ninguém", assegurou o juiz.

"Não", repetiu depois Brett Kavanaugh após ouvir a procuradora Rachel Mitchell perguntar: "A Dra. Ford descreveu uma situação em que esfregou os seus genitais contra ela. Fê-lo?".

Durante o seu testemunho, admitiu conhecer todas as pessoas que estavam na festa de liceu referida por Christine Ford. Um deles é Mark Judge, que, segundo a psicóloga, presenciou o momento da alegada agressão sexual de Kavanaugh. O juiz refere-se a Judge como um "rapaz engraçado" e que não o vê "há um par de anos".

Não desiste da candidatura ao Supremo Tribunal

Perante o Comité Judicial do Senado norte-americano, Kavanaugh afirmou que o seu processo de confirmação para um lugar vitalício no Supremo Tribunal norte-americano se "tornou numa vergonha nacional".

"Podem derrotar-me na votação final, mas nunca me farão desistir. Nunca", garantiu.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG