Karen Uhlenbeck é a primeira mulher a vencer "Nobel" da matemática

Prémio Abel, considerado o Nobel da matemática, é atribuído pela Academia Norueguesa das Ciências e das Letras.

A norte-americana Karen Keskulla Uhlenbeck tornou-se esta terça-feira, em Oslo, a primeira mulher a ganhar o prémio Abel, considerado o "Nobel" da matemática, em década e meia de história do galardão.

A professora emérita de matemática na Universidade do Texas, de 76 anos, foi distinguida pelos seus "feitos pioneiros" sobre equações diferenciais parciais geométricas, a teoria de gauge e os sistemas integráveis.

A Academia Norueguesa das Ciências e das Letras premiou ainda o "impacto fundamental" do trabalho de Karen Uhlenbeck em termos de análise, geometria e física matemática, segundo o comunicado divulgado em Oslo.

Uhlenbeck, adstrita à universidade situada em Austin, é uma das fundadoras da análise geométrica moderna e a sua perspetiva implantou-se na matemática e conduziu a alguns dos avanços "mais espetaculares" nesta área nos últimos 40 anos.

"As suas teorias revolucionaram o nosso modo de entender as superfícies mínimas, como a formada pelas bolas de sabão, e os problemas de minimização gerais em dimensões mais altas", explicou o presidente do comité, Hans Munthe-Kaas.

As técnicas e métodos de análise global desenvolvidos por Uhlenbeck fazem parte "da caixa de ferramentas de todo o geómetra e analista" e o seu trabalho é também a base de modelos geométricos contemporâneos aplicados em matemática e física.

O júri destacou ainda que Karen Uhlenbeck é "um modelo a seguir e uma firme defensora da igualdade de género no mundo das ciências e das matemáticas".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG