Juncker: "Muitas mentiras foram ditas, incluindo por Boris Johnson"

Presidente da Comissão Europeia diz estar arrependido por não se ter envolvido na campanha do referendo acerca da continuidade ou não do Reino Unido na União Europeia

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, acusou o primeiro-ministro britânico de ter dito "demasiadas mentiras" durante a campanha do referente acerca da continuidade ou não do Reino Unido na União Europeia (UE), em 2016, e confessou-se arrependido por não se ter envolvido na campanha.

"Demasiadas mentiras foram contadas, inclusivamente pelo atual primeiro-ministro Boris Johnson, e era necessário haver uma voz para combatê-las", afirmou Juncker em entrevista à revista alemã Der Spiegel.

O luxemburguês culpou políticos britânicos pró-UE, especificamente o seu "amigo" Tony Blair, pelo resultado do referendo, acusando-o de ter visto a UE apenas como um projeto económico. "Se você se apegar a essa narrativa durante mais de 40 anos, não deve surpreender quando as pessoas se lembram dela durante o referendo", frisou.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG