Jovem morta por oito milhões sofria de atraso mental. Plano era violação e homicídio

Denali Brehmer planeou o assassinato da sua melhor amiga em troca de uma fortuna oferecida por um falso milionário. Violou ainda duas menores e enviou fotos e vídeos dos crimes.

A jovem de 18 anos que matou a amiga em troca de oito milhões de euros - oferecidos por um falso milionário que conheceu através das redes sociais -, abusou sexualmente de duas menores a pedido do homem, que também lhe teria pedido para violar Cynthia Hoffman, de 19 anos, que sofria de um atraso mental, segundo familiares e amigos.

De acordo com o El País, a adolescente aproveitou-se da fragilidade mental da amiga para a levar, junto com outro jovem, até às cascatas Thunderbird Falls. Dois dias depois, o corpo de Cee Cee, como era tratada por familiares, foi encontrado pela polícia no rio. Estava amarrada e tinha sido atingida por um tiro.

Denali Brehmer, que vive no Alasca, terá conhecido Darin Shilmiller, de 21 anos, num chat online. Na conversa, Darin identificava-se como Tyler, um multimilionário, e ofereceu a Denali oito milhões de euros para planear o homicídio da sua melhor amiga.

A adolescente aceitou e pediu ajuda a um grupo de quatro amigos entre os 16 e os 19 anos, prometendo-lhes em troca uma parte do dinheiro. A ordem era para que Brehmer também violasse a amiga e enviasse vídeos dos crimes.

Segundo a BBC, a relação entre Brehmer e Schilmiller, que trocaram imagens sexuais durante as suas conversas online, não se limitou ao acordo para matar Cee Cee. Schilmiller chantageou Brehmer depois da morte de Cynthia e obrigou-a a abusar sexualmente de crianças e a enviar-lhe as imagens dos crimes, caso contrário denunciava-a à polícia.

Denali Brehmer terá abusado sexualmente de uma adolescente de 15 anos e de uma criança de 10.

Schilmiller já tinha recebido fotos e vídeos de Cynthia Hoffman amarada, e depois morta, através do Snapchat. Mas não existem indícios de que a vítima tenha sido violada.

Além dos dois homicidas, a polícia prendeu ainda três outras pessoas - incluindo dois menores de idade. Estão acusados de homicídio e conspiração, entre outros crimes.

Enfrentam penas de prisão até 99 anos. O falso milionário, preso no estado de Indiana, está a aguardar a extradição para o Alasca, onde aconteceram os crimes.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG