Joe Biden acusa Donald Trump de ser o primeiro presidente racista

"A forma como ele lida com as pessoas com base na cor da sua pele, seu país de origem, ou de onde são, é absolutamente doentia", afirmou o virtual candidato democrata às eleições presidenciais de novembro

O ex-vice-presidente dos Estados Unidos Joe Biden, virtual candidato democrata às eleições presidenciais de novembro, disse na quarta-feira que o atual chefe de Estado do país, o republicano Donald Trump, foi o "primeiro" presidente racista naquele país.

O comentário de Biden surgir durante uma conferência virtual organizada pelo sindicato internacional de trabalhadores.

Segundo noticia a agência AP, quando um dos participantes se queixou do racismo que surgiu devido à pandemia de covid-19 e mencionou Donald Trump por este se referir ao novo coronavírus como o 'vírus da China', Joe Biden referiu-se a Trump e à "sua disseminação de racismo".

"A forma como ele lida com as pessoas com base na cor da sua pele, seu país de origem, ou de onde são, é absolutamente doentia", destacou o ex-vice-presidente da governação de Barack Obama.

"Nenhum presidente em exercício fez isso. Nunca, nunca, nunca. Nenhum presidente republicano fez isso. Nenhum presidente democrata. Tivemos racistas e eles ainda existem. Eles tentaram ser eleitos presidentes. Ele é o primeiro a ser", acrescentou.

Joe Biden também sugeriu que o atual Presidente norte-americano está a usar a questão racial como "pretexto" para distrair o público da sua má governação durante a pandemia.

Muitos presidentes dos Estados Unidos, incluindo o primeiro do país, George Washington, possuíram escravos.

O nome do 28.º presidente norte-americano, Woodrow Wilson, está a ser removido da escola pública de Política da Universidade de Princeton, após os recentes protestos contra o racismo institucional e a brutalidade policial.

Em declarações prestadas também na quarta-feira na Casa Branca, Donald Trump respondeu aos comentários de Joe Biden, destacando o esforço do seu Governo para aprovar a legislação que reforma a justiça criminal, para expandir as zonas de oportunidade e os baixos números de desemprego em grupos minoritários antes da pandemia.

"Fiz mais pelos negros americanos do que qualquer um, à exceção de Abraham Lincoln. Ninguém chegou perto", afirmou Trump.

Já a consultora da campanha para a reeleição de Trump, Katrina Pierson, destacou em comunicado que "ninguém devia realizar palestras sobre justiça racial com Joe Biden".

O presumível candidato à Casa Branca prometeu que, se for eleito, irá começar a abordar o racismo institucional nos primeiros 100 dias após a tomada de posse.

Esta não foi a primeira vez que Joe Biden sugeriu que Trump tem ações racistas.

Joe Biden construiu a sua campanha para a eleição como sendo uma "batalha pela alma da nação", revelando que se sentiu 'forçado' a concorrer à presidência após as declarações de Trump sobre o ataque a 'contra manifestantes' em Charlottesville, na Virgínia, por parte de supremacistas brancos que realizavam uma manifestação em 2017, dizendo que havia "algumas pessoas boas" de ambos os lados.

No ano passado, quando Trump disse que quatro congressistas democratas de cor deveriam "voltar para os seus países", Biden considerou aquelas declarações como um "ataque racista".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG