Itália cobre estátuas de nus para visita do presidente iraniano

Hassan Rouhani não teve de ser confrontado com a nudez das estátuas do Museu Capitolino durante a sua visita a Roma

O presidente do Irão, Hassan Rouhani, encontrou-se com o primeiro-ministro italiano esta segunda-feira no histórico Museu Capitolino, em Roma, mas houve várias obras de arte que não pôde ver. Para evitar ofender o chefe de Estado, as estátuas do museu que representavam nus foram cobertas com grandes painéis brancos.

De acordo com a agência noticiosa italiana Ansa, foram cobertas quatro estátuas num dos corredores do museu como "forma de respeito à cultura e sensibilidade iranianas". A agência acrescenta que, no jantar entre o presidente iraniano e Matteo Renzi, não foi servido vinho pelas mesmas razões.

Em Itália, o assunto já é polémico. Já surgiu uma petição no site Change.org, redigida e publicada pelo deputado do partido de esquerda SEL, Gianluca Peciola, a pedir explicações ao primeiro-ministro por ter coberto as estátuas no museu do Capitólio. "Pedimos ao primeiro-ministro Matteo Renzi explicações imediatas e oficiais acerca de uma escolha que consideramos uma vergonha e humilhação da arte e cultura, entendidas como conceitos universais", escreveu Peciola.

Por seu lado, uma associação ligada ao partido de esquerda Radicali Italiani, (que atualmente não tem nenhum deputado eleito), realçou num comunicado que embora este caso esteja a gerar polémica, existiu uma situação parecida com o Papa Francisco na própria Itália no ano passado, sem que se criasse escândalo. "Em junho do ano passado (não do século passado), há só sete meses e sempre "por respeito", foram cobertos os pósteres de Tamara de Lempicka para a visita do Papa na laica (digamos assim) Turim", escrevem os membros da associação. "É claramente uma laicidade a corrente alternada, mas a laicidade ou é... ou não é".

É a primeira visita do presidente iraniano Hassan Rouhani à União Europeia desde o levantamento das sanções ao Irão, e vai durar quatro dias, passando por Itália, França e pelo Vaticano. Esta terça-feira, Rouhani encontrou-se com o Papa Francisco para uma reunião de cerca de 40 minutos.

Após a reunião com Renzi, o Hassan Rouhani partilhou no Twitter um compromisso de Matteo Renzi de visitar o Irão "nos próximos meses para melhorar os laços económicos".

A visita de Rohani à Europa, que inclui uma passagem por França, estava inicialmente prevista para novembro, mas foi adiada devido aos atentados em Paris reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico.

Com Lusa

Exclusivos