Israel aprova novo colonato na Cisjordânia, o primeiro em 20 anos

Decisão não tem paralelo nas duas últimas décadas

Israel aprovou ontem, pela primeira vez nos últimos 20 anos, a construção de um novo colonato na Cisjordânia. A administração americana, que desde a tomada de posse de Donald Trump tem evitado críticas à política de colonatos do governo israelita, reagiu afirmando que a decisão "não ajuda ao processo de paz" na região.

A decisão foi aprovada por unanimidade pelo gabinete de Segurança de Israel, e posteriormente anunciada pelo governo e surge como uma compensação aos colonos de Amona, um colonato ilegal que foi demolido em fevereiro por ordem do Supremo Tribunal de Israel. O executivo anunciou também que serão construídos 2000 novos apartamentos em colonatos já aprovados.

Atualmente, cerca de 600 mil israelitas vivem em colonatos na Cisjordânia e leste de Jerusalém.

Hanan Ashrawi, da Organização para a Libertação da Palestina, já reagiu afirmando que esta decisão vem provar que Israel está "mais comprometido em apaziguar a sua população ilegal de colonos do que em cumprir os requisitos pela estabilidade e por uma paz justa".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG