Irão disponível a negociar com os EUA... com condições

Presidente iraniano exige que Washington levante as sanções e que volte ao acordo nuclear, que abandonou no ano passado.

O presidente iraniano, Hassan Rouhani, defendeu este domingo num discurso transmitido pela televisão estatal que o Irão está preparado para negociar com os EUA, se Washington levantar as sanções e voltar ao acordo nuclear que assinou há precisamente quatro anos mas que abandonou no ano passado.

"Acreditámos sempre em negociações... se eles levantarem as sanções, acabaram com a pressão económica que impuseram e regressarem ao acordo, estamos prontos para ter negociações com a América hoje, agora e em qualquer lugar", afirmou Rouhani.

A tensão entre Teerão e Washington reacendeu-se depois de, no ano passado, o presidente norte-americano, Donald Trump, ter saído do acordo nuclear que o Irão assinou com seis potências mundiais e ter reintroduzido as sanções que tinham sido suspensas.

Em reação, Teerão anunciou que ia quebrar o acordo, nomeadamente no que diz respeito ao armazenamento de urânico enriquecido e começou a enriquece-lo acima do nível permitido pelo texto.

Preocupação europeia

A França, o Reino Unido e a Alemanha disseram este domingo que estão preocupados com a escalada de tensões na região do Golfo Pérsico, por causa do risco de rotura total do acordo iraniano, apelando ao retomar do diálogo entre as partes.

Num comunicado conjunto no quarto aniversário da assinatura do acordo, os países europeus escreveram. "Os riscos tão são elevados que é preciso que todas as partes façam uma pausa e considerem as possíveis consequências das suas ações", diz o texto, divulgado pela Presidência francesa.

"Acreditamos que chegou a hora de agir de forma responsável e de procurar novas maneiras de parar o escalar da tensão e retomar o diálogo", acrescentaram. "Mantemos o nosso compromisso ativo com todas as partes interessadas em encontrar uma solução, com o objetivo da preservação da paz e da segurança internacionais", concluem.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG