Irão admite manter-se no acordo nuclear sem os EUA

"Se conseguirmos o que queremos com um acordo sem os EUA, então manteremos o nosso compromisso com o acordo", garantiu esta segunda-feira o presidente do Irão

O presidente iraniano, Hassan Rouhani, afirmou hoje que o seu país pode manter-se no acordo nuclear mesmo que os Estados Unidos abandonem o pacto, desde que outras partes garantam as expectativas do Irão.

"Se conseguirmos o que queremos com um acordo sem os Estados Unidos, então manteremos o nosso compromisso com o acordo. O que o Irão quer é que os seus interesses sejam garantidos pelos signatários não-americanos", disse Rohani, citado na página da presidência.

No domingo, Rouhani voltou a advertir que os EUA se arrependeriam "como nunca" de abandonar o acordo, como Trump ameaça há meses

O presidente norte-americano, Donald Trump, deve anunciar até ao próximo sábado, 12 de maio, se os EUA se mantêm ou se retiram do acordo concluído em julho de 2015 entre o Irão e o grupo 5+1 (os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU -- EUA, Rússia, China, França e Reino Unido -- e a Alemanha).

No domingo, Rouhani voltou a advertir que os EUA se arrependeriam "como nunca" de abandonar o acordo, como Trump ameaça há meses.

Trump quer mais inspeções e, sobretudo, a eliminação dos prazos impostos a Teerão em relação ao programa nuclear, que expiram em 2025 e em 2030

"Pensámos em todos os cenários e tomámos as medidas apropriadas. Os Estados Unidos serão os principais perdedores", voltou hoje a dizer.

Donald Trump quer que os aliados europeus se entendam com o Irão até 12 de maio quanto à forma de ultrapassar "as terríveis lacunas" do acordo.

Trump quer mais inspeções e, sobretudo, a eliminação dos prazos impostos a Teerão em relação ao programa nuclear, que expiram em 2025 e em 2030.

Para os europeus, o acordo de 2015 continua a ser o melhor instrumento para impedir o Irão de desenvolver armas nucleares.

Do lado iraniano, o principal interesse é não ser excluído do sistema financeiro e comercial mundial.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG